Nelson Nunes deixa o Diário de S.Paulo

Depois de 22 anos na casa, cinco diferentes proprietários e oito projetos gráficos, Nelson Nunes, editor-chefe do Diário de S.Paulo, deixou o jornal nesta 2ª.feira (3/10), encerrando um ciclo iniciado em 1989, como chefe de Reportagem de Esportes. O jornal ainda não anunciou seu sucessor, mas sabe-se que o consultor contratado para reestruturar o jornal, Eucimar de Oliveira, tem conversado com vários profissionais, com vistas a definir um novo estafe editorial, que compartilhe as mesmas ideias e conceitos de elaboração de um jornal popular. Nelson, no período em que lá esteve, passou por várias funções até assumir, com a saída há 45 dias de Leão Serva e a chegada de Eucimar, o comando editorial do jornal. Ele foi também por dez anos da Gazeta Esportiva, veículo em que deu os primeiros passos no jornalismo. ?Hoje é o primeiro dia, desde que comecei no jornalismo, em que estou oficialmente fora de uma redação, mas saí por escolha própria, sem um plano B?, revelou a este J&Cia. Em sua despedida, fez questão de encaminhar uma carta para toda a redação, em que aproveitou para brincar com o leiaute do jornal, mais especificamente com a primeira página, a que tanto se dedicou nos últimos anos. Nela anuncia: ?Caros, nos últimos 22 anos, certamente fiz mais de 3 mil capas do Diário de S.Paulo. Nenhuma tão difícil quanto essa. A começar pela falta da manchete… Vocês devem imaginar que há um vazio dentro de mim nesse momento de dizer adeus e, por mais que procure, não acho as palavras. Na falta delas, queria apenas dizer obrigado a todos os que acompanharam minha trajetória aqui dentro, dividindo comigo as melhores e as piores notícias, as mais lindas e as mais chocantes imagens, os mais longos e intermináveis plantões. A partir de amanhã serei só um leitor. E, se não for pedir demais, humildemente, peço que vocês cuidem bem do ?meu querido Diário?. Muito obrigado por terem vivido comigo as melhores páginas da minha vida. Tks, NN?. Em outra frase, só que esta na mensagem que estampa o alto das capas do Diário de São Paulo, ele escreve ainda. ?Bom dia. A partir de agora, eu vou ficar só na torcida pelo sucesso de todos vocês?. Além de Nunes deixou o jornal na semana passada, Fernanda Cirenza, sub do caderno Viva. Rede Bom DiaNa Rede Bom Dia, do mesmo Grupo Traffic, que administra o Diário de S.Paulo, as novidades vem da Central de Edição Compartilhada (CEC), espécie de agência de notícias que produz conteúdo para os vários jornais editados. Deixaram o núcleo a editora do Dia-a-Dia Darlene Delello (11-7512-1527 e darlenedelello@gmail.com), que já estava havia cinco anos na casa, sendo os últimos 18 meses junto com a redação do jornal em São Paulo, e o repórter de esportes Diogo Mustaro. Grupo TrafficVale ressaltar que o Grupo Traffic, por seu presidente, J.Hawilla, contratou recentemente a consultoria Galeazzi, com o objetivo de analisar uma possível reestruturação das atividades da empresa. A Galeazzi é a mesma consultoria que anos atrás foi chamada pelo Estadão para profissionalizar o grupo e monitorar a saída da família da operação.