Caco de Paula é o novo gestor do projeto Educar para Crescer, da Abril

Caco de Paula, diretor e publisher do núcleo Sustentabilidade do Grupo Abril, que há sete anos lidera o Planeta Sustentável, é agora também o novo gestor do projeto sem fins lucrativos Educar para Crescer, criado por Roberto Civita em 2008 com o objetivo de tornar a educação uma pauta nacional, para sensibilizar e engajar os pais na educação de seus filhos.

Como o rodízio de gestão acontece a cada três anos, Caco substitui a Dimas Mietto, diretor-adjunto do núcleo Segmentadas, que o comandava desde 2011; antes, ele esteve sob a responsabilidade de Kaike Nanne, hoje publisher do Grupo Ediouro. Considerado a “menina dos olhos” de Civita, que nele apostava como forma de melhorar os brasileiros e o País, o Educar para Crescer utiliza-se do poder de comunicação dos Grupos Abril e Bandeirantes para impactar a população por meio de reportagens, cartilhas, campanhas, eventos e redes sociais.

Com a adesão da Band, a previsão é que alcance 90 milhões de pessoas este ano, contra 57 milhões em 2013, número que já havia sido 78% maior do que o do ano anterior. Caco diz que o trabalho no Planeta Sustentável tem muito a ver com esse projeto que vai acumular: “A sustentabilidade deste País depende muito da melhoria de nosso nível educacional. Roberto Civita sabia muito bem disso quando apoiou e nutriu ambas as iniciativas alguns anos atrás. Para as duas, reporto-me diretamente a Fábio Barbosa, CEO da Abril. Minha agenda cotidiana fica um pouco mais carregada com a dupla responsabilidade (Planeta Sustentável + Educar Para Crescer). Mas esse aumento de trabalho é por uma boa causa. Ou melhor, duas boas causas: Educação e Sustentabilidade”.

Segundo ele, não há planos de mudar ninguém nas duas equipes: “Pelo contrário. São times ótimos, que serão mantidos. Também não há perspectiva de unir os dois projetos, que, apesar de terem seus pontos de contato, serão mantidos separados para fortalecimento de suas características e missões únicas. O próximo passo é tornar ambos os projetos maiores e ainda mais relevantes do que já são”.