Solange Azevedo e André Julião deixam IstoÉ

Solange Azevedo despediu-se de IstoÉ depois de dois anos e meio como editora, mas na função de repórter especial. Antes, foi repórter em Época durante uma década. Também graduada em Letras, ganhou 12 prêmios na carreira, entre eles Excelência Jornalística em Direitos Humanos e Serviços à Sociedade (SIP, 2009), Esso de Informação Científica, Tecnológica e Ecológica (2008) e Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos (2006). A reportagem Eles mataram, que fez com Edna Dantas em 2003 para Época, foi publicada no livro Lo Mejor del periodismo de América Latina, obra organizada pela FNPI, entidade criada e presidida por Gabriel García Márquez. Solange já deu aulas de jornalismo investigativo, participou de intercâmbios na Alemanha e nos Estados Unidos e, em 2006, de programa de quatro meses coordenado pelo World Press Institute (WPI). Seus contatos são solange.azevedo@uol.com.br e 11-8334-8670. Outro que deixou IstoÉ foi o repórter André Julião (andjuliao@gmail.com e 11-8365 9992), que cobria Ciência, Tecnologia e Ambiente também havia dois anos e meio. Vai tocar projetos pessoais e frilas. Pretende voltar à África, onde esteve entre março e abril de 2011 participando do projeto Ameaçados ? Lugares em risco no século 21, do fotógrafo Érico Hiller, que registrou em livro as mudanças em curso no vale do rio Omo, no sul da Etiópia. E já tem encomenda de uma reportagem sobre a Ilha da Queimada Grande, a 33 km da costa de Itanhaém, que deve ser publicada com fotos de João Marcos Rosa na edição de maio da National Geographic Brasil.