Uma semana de festas para a mídia que sempre se renova

Por Cristina Vaz de Carvalho, editora de J&Cia no Rio de Janeiro

Nesta sexta-feira (18/9), o Brasil celebra o lançamento da TV aberta no País. Em 18 de setembro de 1950, Assis Chateaubriand inaugurava a TV Tupi, primeira da América Latina e quarta do mundo – atrás apenas de Estados Unidos, Inglaterra e França –, importância bem descrita pela Folha de S.Paulo. A ousadia, o investimento e o tanto de improvisação de Chateaubriand, então um magnata dos Diários Associados, foram em muito superados por sua criatura. A evolução foi bem observada pelo jornal O Globo, citando Sandra Reimão, professora da USP: de início a TV precisou vencer um desafio tecnológico para depois se desenvolver como linguagem.

Muitas foram as celebrações programadas para a data. Tanto a Band, no Canal Livre (parte 1 e parte 2), como a TV Cultura, no Roda Viva, entrevistaram José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, dos poucos remanescentes dos tempos áureos dessa mídia. As duas emissoras exibem ainda séries sobre o tema. Curiosamente, Silvio Santos, um ícone do setor, aparece nas citações dos concorrentes mas, até o fechamento desta edição, não se manifestou no seu canal.

Esta semana promete suíte. O programa Globo Repórter, da TV Globo, colhe vários depoimentos para um especial, que deve ir ao ar no próprio dia do aniversário (18, sexta-feira). Até a Biblioteca Nacional expôs seu arquivo sobre a efeméride.

A Associação Brasileira das Empresas de Rádio e TV (Abert) comemora com o projeto TV Ano 70. Nesta quarta-feira (16), às 18h, lançou o portal Memória, com uma linha do tempo, matérias especiais, galerias de fotos e vídeos, curiosidades e uma área colaborativa para depoimentos. Diariamente, novos conteúdos serão postados, ficando como um legado virtual da entidade para a história da televisão.

No dia seguinte, quinta-feira (17), às 17h, em transmissão pelo Facebook (@ABERT.RadioeTV) e YouTube, uma live em retrospectiva vai lembrar os principais momentos da TV ao longo das sete décadas, e contar histórias pioneiras das transmissões no País. Participam Flávio Lara Resende, presidente da Abert; Elmo Francfort – escritor, radialista, jornalista, pesquisador e crítico de TV, dedica-se a mostras e trabalhos pela memória da comunicação – e Maurício Viel, também jornalista e pesquisador, coautor do livro TV Tupi: do tamanho do Brasil.

O primeiro volume desse e-book será lançado na sexta-feira (18), e estará disponível para download no site do Memória Abert. A obra desvenda mistérios e explica histórias que antes não foram analisadas com o devido aprofundamento: o que é lenda e o que foi real nos primórdios da TV no Brasil. Nas redes sociais da Abert, já é possível acompanhar a história da TV, com as curiosidades e bastidores da implantação do meio. São fotos, algumas inéditas, que contam momentos marcantes das principais atrações da televisão aberta.

Vale lembrar que a TV Cultura estreou em 17/9 a série Os Campeões de Audiência, que reúne mais de 70 profissionais que fizeram parte da história da televisão brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *