Trabalhadores da EBC, sindicatos e Fenaj lançam segunda edição de dossiê com casos de censura na empresa

Trabalhadores da EBC, sindicatos e Fenaj denunciaram em live na segunda-feira (21/9) censura no trabalho jornalístico da empresa pública por parte do governo Bolsonaro. Eles apresentaram um segundo dossiê com o levantamento de casos em todos os veículos da EBC. De acordo com o relatório, a censura e o uso de propaganda do governo vêm ocorrendo desde 2016, mas o problema foi agravado na gestão de Bolsonaro.

Esta segunda edição do Dossiê Censura EBC traz como subtítulo Inciso VIII, que se refere ao artigo 2° da Lei nº 11.652, de criação da EBC, que descreve os princípios a serem seguidos pela empresa pública: “VIII – autonomia em relação ao Governo Federal para definir produção, programação e distribuição de conteúdo no sistema público de radiodifusão”. O documento destaca casos em que houve cerceamento à liberdade de imprensa na empresa, gerando entraves ao cumprimento do princípio básico da instituição, que é produzir conteúdos de comunicação pública para o interesse da sociedade e que “contribuam para o desenvolvimento da consciência crítica das pessoas”, como consta na própria missão da EBC.

O levantamento, feito por um grupo de trabalho composto por representantes da Comissão de Empregados da EBC e dos sindicatos dos Jornalistas e dos Radialistas de Brasília, SP e RJ, teve como base trabalhos realizados entre janeiro de 2019 e julho de 2020. Ao todo, foram feitas 138 denúncias, o que representa cerca de dois casos de censura ou governismo por semana no período analisado. Esses casos são apenas os que chegaram a ser denunciados. Segundo do documento, as editorias mais censuradas foram Política e Direitos Humanos, com supressão de coberturas, como as repercussões do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes e violação dos direitos indígenas; interdição de fontes para matérias, como Anistia Internacional e Human Rights Watch; e proteção excessiva a ministros e ao próprio presidente da República, com edição de falas para minimizar a gravidade de declarações oficiais.

Leia o relatório na íntegra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *