RSF pede a empresas digitais que impeçam ataques a jornalistas

A ONG Repórteres Sem Fronteiras (RSF) publicou nota em 11/5 pedindo às grandes empresas digitais, como Google e Facebook, que aumentem a fiscalização e o combate aos frequentes ataques virtuais direcionados a jornalistas, muitas vezes feitos por líderes políticos.

Segundo a entidade, o frequente questionamento no que se refere à veracidade das informações divulgadas pela imprensa de diversos países sobre a pandemia do novo coronavírus gera campanhas de linchamento virtual a profissionais de imprensa, que, muitas vezes, são apoiadas e alimentadas por políticos, causando reações inadequadas da comunidade.

Christophe Deloire, secretário-geral da RSF, disse que “é muito alarmante ver o ódio político de líderes como combustível contra jornalistas online, simplesmente porque eles não cobrem a crise do Covid-19 como os líderes querem. Este período de pandemia sem precedentes é uma oportunidade única para resolver um problema sistêmico nas plataformas online, que devem comprometer-se com maior transparência em suas operações de moderação e nas ações realizadas para combater o cyberbullying de jornalistas”.

A entidade destaca que a Inteligência Artificial, mecanismo utilizado pela maioria das empresas de tecnologia para detectar e filtrar fake news e conteúdo inapropriado, não consegue distinguir com precisão publicações ilegais, o que evidencia a necessidade de fiscalizadores humanos. Veja a declaração da RSF na íntegra. (Com informações da ANJ)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *