R7 corta 15 em processo de reposicionamento de conteúdo

Como parte do processo de implementação um novo modelo de produção de conteúdo que o R7 promove desde o final do ano passado com o objetivo de eliminar barreiras impostas pela existência das editorias fixas, o portal dispensou 15 profissionais da Redação no último dia 4 de julho. Segundo Antonio Guerreiro, diretor geral de Novas Mídias da Rede Record, a medida foi necessária “por causa da criação da central de redação com perfil multimídia, focada na produção multiplataforma, transmídia e com forte presença nas redes sociais e na área de vídeos. Trata-se de uma readequação do perfil profissional a esse novo modelo. Reforço apenas que a área de conteúdo do portal segue firme com 141 profissionais atuantes na redação e arte”. O Portal dos Jornalistas conseguiu apurar os nomes de 13 dos dispensados: a chefe de Reportagem Edna Dantas, a repórter fotográfica Daia Oliver, a revisora Fabiana Lima, o webdesigner Guilherme Batista, além dos jornalistas Ana Claudia Barros, Érika Midori Omori, Francine Constanti, Juliana Zorzato, Maria Carolina de Ré, Miguel Arcanjo Prado, Patrícia Gebara, Sylvia Palma e Vanessa Beltrão.   Edna Dantas quer escrever livros Edna Dantas (edna.dantas@uol.com.br), que estava no R7 há um ano, disse ao Portal dos Jornalistas disse que, em função dos boatos sobre os cortes que circulavam pela empresa, havia decidido pedir demissão após as férias (a partir de 18/7) e pediu para ser incluída na lista. No facebook ela publicou um depoimento sobre a saída e seus novos rumos: “Hoje encerro minha história no R7.Triste sair em mais um corte dos tantos que têm assolado as redações. Triste por aqueles que preferiam ficar. Devo admitir, entretanto, que saio feliz. Já tinha tomado a decisão de sair porque está na hora de fazer algo novo. Sempre fui meio ‘bicho jornalista’ e como tal tive a oportunidade de cobrir momentos históricos do País. Testemunhei de dentro do plenário da Câmara o impeachment de um presidente da República, cobri a Rio-92 (conferência mundial de meio-ambiente sediada aqui), viajei pelo Brasil para contar histórias de brasileiros, ganhei (e mantenho com orgulho) o título de Jornalista Amiga da Criança em 1999, e, depois de quase 30 anos de muitas andanças, fui para o R7, onde coordenei a cobertura de mais uma eleição presidencial, a morte de um candidato em plena campanha, enfim, o noticiário que todos acompanham hoje via redes sociais. “Chega, né? É hora de tocar um projeto pessoal. Vou tirar férias de um mês e na volta me dedicarei ao meu novo sonho: escrever ficção. Chega de realidade. Quero mais é inventar histórias. Quando o livro sair aviso a todos aqui. Por enquanto, para me sustentar, farei frilas, mas o sonho é mesmo o livro. Vários livros. Uma série deles. Quem sabe dá certo. Obrigada a todos no R7. É a vida que segue, sempre surpreendente.”