Portal dos Jornalistas: rumo aos 5.000 perfis

Um ano e meio após o lançamento do Portal dos Jornalistas, já são mais de 4.400 profissionais com perfis, muitos deles ícones do jornalismo nacional. A essência do projeto é abrigar o histórico da carreira de cada jornalista que atue no Brasil, independentemente de origem, cargo ou tempo de profissão. “Temos jornalistas representando todos os Estados brasileiros. Isso mostra que abrimos nossas portas para todos os jornalistas”, conta Zeza Loureiro, responsável pelo conteúdo de perfis do Portal. “Já aconteceu de profissionais chegarem dizendo: ‘Poxa, mas eu sou uma cidade tão pequena… será que posso entrar para o Portal?´. Lógico que pode! O Portal dos Jornalistas só é o que é porque tem o seu perfil, o perfil de cada um que está aqui. O Portal está aberto para todos os jornalistas entrarem, inclusive recém-formados. Não temos nenhuma barreira. Pra nós, todo dia o jornalista é notícia e a ideia do Portal é valorizar o profissional. Todo dia é Dia do Jornalista”. As áreas em que jornalistas perfilados atuam são as mais diversas: das tradicionais Cultura, Educação, Economia a Loterias e Concursos. “Tem gente que só escreve sobre concursos, ensina como passar em concursos e o que fazer quando perder um concurso…”, diz Zeza. Vinícius Ribeiro, que a assiste na produção dessas minibiografias profissionais, conta que recentemente teve contato com o editor um site sobre loterias: “Fui pesquisar o site e fiquei surpreso com o conteúdo que, além de vasto, é sempre atualizado. O legal desse trabalho é poder compartilhar um pouco das histórias, ver a trajetória do profissional desde que começou a carreira. Com a diversidade de especialistas sobre os quais escrevemos, dá para aprender muita coisa!”. O início da carreira desses jornalistas é também, frequentemente, bastante curioso. Um começou como operador de áudio, outro como locutor de alto-falante no interior, um terceiro como digitador de título de eleitor no cartório eleitoral… Outro caso interessante é o de um criador de abelhas que começou a escrever sobre elas para jornais e revistas. Envolveu-se tanto com o jornalismo que acabou deixando as abelhas de lado e fundando um jornal. “Outra coisa que observamos em comum é o senso de oportunidade. O jornalista geralmente teve oportunidade na carreira porque um colega faltou e ele ficou no lugar ou foi cobrir férias de alguém… Tem essa virada na vida de todos eles. Ou por estar presente, involuntariamente, em determinado momento relevante e fazer a cobertura etc.. Todo mundo começou com dificuldade, todo mundo tem uma carreira de dedicação, porque é uma profissão que precisa disso”, afirma Zeza, que define as histórias como exemplos de vida. Função inicialmente não imaginada, o Portal dos Jornalistas passou a servir de fonte para empregadores. “Uma vez um repórter me ligou pedindo para alterar o perfil porque iria mudar de veículo. Disse que quando foi enviar o currículo para a empresa, os responsáveis informaram que não era necessário, pois tinham-no encontrado no Portal”, conta Zeza. Também pelos canais de contato dos leitores com a equipe do Portal chegam histórias das mais variadas, que vão desde denúncias até uma tentativa de “correio elegante”: ”A história mais engraçada foi a de uma mulher que mandou e-mail dizendo que determinado jornalista era muito bonito, perguntando se ele era solteiro, pois tinha interesse em conhecê-lo melhor”, conta Vinícius. “Houve também o caso de um consumidor que entrou em contato conosco porque comprou determinado carro e depois de um ano ele estava todo enferrujado. Ainda tentamos compreender o que as pessoas de fora do jornalismo entendem do Portal”. Zeza o aponta como uma vitrine não só do jornalista, e sim do jornalismo brasileiro: “Podemos acompanhar a evolução pelo número de especialistas – por exemplo, em Sustentabilidade, que hoje são mais de 200 no Portal – e assim observar os rumos que o jornalismo está tomando”. Na editoria de Esportes, o Portal foi reconhecido pela Aceesp como o espaço com maior número de currículos de jornalistas esportivos do País. Sobre os próximos passos do Portal dos Jornalistas, ela diz que a meta é chegar aos 5.000 perfis profissionais até setembro, número que corresponde a 10% dos jornalistas registrados em redações do País. Para isso, convida sindicatos de jornalistas e veículos a enviarem os currículos de seus profissionais: “É fundamental para nós que o jornalista mande o maior número de informações possível. Quanto mais ele colaborar, quanto mais informações enviar, melhor vai ficar o perfil. Cada um para nós vale ponto”, diz a coordenadora. Para fazer parte do Portal dos Jornalistas, o profissional deve preencher seus dados em Cadastre-se ou enviar um currículo profissional para perfil@portaldosjornalistas.com.br.