Plataformas preparam-se para blindagem contra fake news

Todas as mídias do grupo Globo reúnem-se para apurar notícias falsas

*Por Cristina Vaz de Carvalho, editora de Jornalistas&Cia no Rio de Janeiro.

Sinergia é isso: a Rede Globo, o canal GloboNews, o portal G1, os jornais O Globo, Extra e Valor, a revista Época e a rádio CBN montam o sistema que chamaram de Fato ou fake para alertar o público sobre informações duvidosas. Não se tem notícia de uma mobilização de todas as plataformas do grupo Globo para atuar em conjunto antes dessa iniciativa.

Não é demais lembrar que, no ano passado, o jornal O Globo inaugurou a editoria É isso mesmo? para checagem de fatos. Se for o jornal que ora lidera esse movimento, ponto para O Globo.

Jornalistas dos oito veículos farão um monitoramento diário para identificar postagens e mensagens muito compartilhadas em redes sociais e por aplicativos como o Whatsapp. Ao juntar o trabalho de apuração das diversas redações, será possível verificar com mais rapidez um número maior de informações. Todos os veículos envolvidos poderão exibir, publicar ou transmitir matérias com o conteúdo das checagens feitas em conjunto.

Para confrontar versões e impedir a difusão de rumores, serão conferidos selos de Fato, Fake ou Não é bem assim às mensagens e declarações. Haverá ainda um robô no Facebook e no Twitter à disposição do público, para responder se uma informação é fato ou fake, caso esta já tenha sido checada pelos jornalistas do projeto.

A metodologia consiste no monitoramento diário, por jornalistas desse projeto, das redes sociais, da internet e das sugestões enviadas pelo público. Ao constatar que uma mensagem foi muito compartilhada, vão investigar a fonte que deu origem à informação, verificar se as imagens apresentadas correspondem ao que é narrado e ouvir as pessoas citadas. Fontes oficiais, testemunhas e especialistas também poderão ajudar a esclarecer o que está escrito ou dito. O principal critério de checagem é a transparência: das fontes, da metodologia e das correções.

Desde segunda-feira (30/7), as empresas do grupo estão aptas a responder à pergunta de sua avassaladora audiência: entre centenas de conteúdos que recebem diariamente, das mais diversas fontes: como identificar o que é verdade?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *