18.9 C
Nova Iorque
domingo, agosto 1, 2021

Buy now

Maioria dos jornalistas assassinados em 2019 estava em zonas sem conflito, diz estudo

Um relatório feito pela Intensified Attacks, New Defences apontou que a maior parte dos jornalistas assassinados durante o exercício da profissão estava em locais sem conflitos armados. O estudo mostra também um aumento de ataques digitais/cibernéticos a profissionais de imprensa, principalmente mulheres.

Segundo os pesquisadores, esses dados provam que a cobertura de temas como política, corrupção e crime pode ser mais perigosa que a feita em zonas de guerra. A América Latina e o Caribe são as regiões com maiores índices de assassinados em 2019, com 22 casos no total. Na sequência vem Ásia-Pacífico, com 15, e os Estados árabes, com dez.

A pesquisa, que leva em conta investigações judiciárias de assassinatos de profissionais da imprensa desde 1993, apontou que entre 2014 e 2018, 495 jornalistas foram mortos no mundo todo, número 18% maior do que o registrado entre 2009 e 2013. A tendência é que o índice cresça ainda mais nos próximos anos.

Related Articles

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
22,043FãsCurtir
2,883SeguidoresSeguir
18,100InscritosInscrever

Últimas notícias