Juremir Machado demite-se da Rádio Guaíba após veto em entrevista

Juremir Machado

Juremir Machado pediu demissão da Rádio Guaíba na manhã desta terça-feira (23/10) após ser impedido de fazer perguntas ao candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL). Ao aceitar ser entrevistado pela rádio, Bolsonaro disse que responderia apenas às perguntas do âncora do programa, Rogério Mendelski. Juremir e outros dois jornalistas, Jurandir Soares e Voltaire Porto, acompanharam a entrevista, não puderam fazer perguntas.

Ao final do programa, o âncora explicou que o silêncio dos presentes fora uma “condição” do candidato: “Vou só avisar aos nossos ouvintes que o silêncio de vocês aí foi uma condição do candidato, que queria conversar com o apresentador”.

“Nós podemos dizer que o candidato nos censurou?”, questionou Juremir. “Não, não diria isso”, disse o âncora. “Eu achei humilhante e, por isso, estou saindo do programa. Foi um prazer trabalhar aqui dez anos”, rebateu Juremir, que se levantou e saiu do estúdio. Veja o vídeo.

Professor do curso de Jornalismo da Faculdade de Comunicação Social da PUC-RS, Juremir é crítico do candidato Bolsonaro.

Vale lembrar que a Guaíba pertence ao Grupo Record, que está sendo denunciado pelo Sindicato dos Jornalistas de São Paulo por pressionar seus profissionais em favor do candidato do PSL.

No final do dia Juremir enviou mensagem aos amigos informando não haver deixado a emissora: “Caros amigos: obrigado pelo apoio. Apenas um esclarecimento. Eu não me demiti da Rádio Guaíba, onde continuo apresentando meu programa Esfera Pública. Eu declarei ao vivo, antes de me retirar, que não participaria mais do programa Bom Dia, no qual participava há dez anos, das 8h às 9h. A razão, como vocês sabem, foi não ter podido fazer perguntas a Jair Bolsonaro. Por imposição dele. Deve ter más lembranças da entrevista que fiz com ele em 2016 e que está no YouTube. Tempos duros”.

(Com informações do Congresso em Foco).

1 comment

Get RSS Feed
  1. Manoel

    mimimi de petista? Não podem ser contrariados, mas adoram declarar suas posições políticas nas universidades. Jornalista tem que aguentar o osso também, ninguém é obrigado a dar entrevistas a quem quer que seja, a qualquer título. Já vai tarde!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *