Estudo aponta big data como fator de excelência corporativa

A análise de big data é um elemento fundamental para planejar as estratégias gerais das organizações latino-americanas. Apesar disso, somente uma quarta parte dos profissionais está consciente de que essa ferramenta pode mudar a profissão e apenas 17,6% das agências e departamentos de comunicação tenham implantado esse tipo de atividade.

Além de gerenciar dados massivos, o uso das redes sociais por parte da sociedade e das organizações mudou o panorama da gestão da comunicação, embora ainda haja uma lacuna entre a importância dada às ferramentas e às suas efetivas implementações.

Essas são algumas das conclusões do Latin American Communicator Monitor (LCM), estudo organizado pela European Public Relations Education and Research Association, com a colaboração da Associação de Diretores de Comunicação da Espanha (Dircom) e o patrocínio da Llorente & Cuenca.

O documento analisa as atuais práticas e o desenvolvimento futuro da comunicação estratégica nas organizações, a partir de uma pesquisa realizada com cerca de mil pessoas em 17 países.

Os principais eixos do estudo estão centrados na análise do uso de big data na comunicação estratégica, na automação da área de RP e na gestão da comunicação, nas relações entre as agências e seus clientes, nas novas formas de distribuir os conteúdos por meio de influenciadores, nas organizações, na geração do engajamento e em suas habilidades, nos conhecimentos e no desenvolvimento de competências dos profissionais da comunicação, entre outros temas.

Os resultados da análise também permitiram concluir que apenas 16,8% dos departamentos de comunicação na América Latina são considerados de excelência. Esse percentual está apenas três pontos abaixo dos resultados obtidos há dois anos e também do desempenho global na Europa e na Ásia-Pacífico (20% e 24,4%, respectivamente).

E são as empresas listadas em Bolsas de Valores as que lideram a classificação. Os departamentos de comunicação de excelência caracterizam-se por estarem mais avançados em relação à implementação da análise de big data.

Confira a íntegra do LCM (em espanhol).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *