Bolsonaro ordenou atraso de boletins sobre o coronavírus

Crédito: Adriano Machado / Reuters

O atraso no horário da divulgação dos boletins epidemiológicos sobre o coronavírus, que passou a ocorrer nesta semana, foi uma ordem direta do presidente Jair Bolsonaro, com o objetivo de evitar que os dados fossem transmitidos nos telejornais noturnos, período de maior audiência nas tevês brasileiras.

A informação é do Correio Braziliense, que ouviu uma fonte do alto escalão do governo. Segundo a reportagem, Bolsonaro ordenou que os dados fossem divulgados às 22h, mesmo estando fechado mais cedo, por volta das 19h, como de costume.

Vale lembrar que a intenção de atrasar os boletins existe desde a gestão do ex-ministro da saúde Henrique Mandetta. Porém, ele se recusou a acatar a ordem, alegando que a ação geraria forte impacto na resposta à epidemia.

Na época, Mandetta realizava todos os dias, às 17h, uma coletiva de imprensa no Palácio do Planalto, onde respondia a perguntas e fornecia um panorama da situação da pandemia no País.

Como as principais emissoras têm seus próprios sistemas de apuração de dados sobre a pandemia, e os divulgam desde o início do surto, a decisão do presidente não teve muito efeito prático.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *