Aos 45 anos de vida, ADS cresce e investe na produção de conteúdo atrelada à geração de resultados

Quando o siciliano Antonio De Salvo chegou ao Brasil com os pais, em 1953, aos 16 anos, talvez não imaginasse que se transformaria num dos pioneiros das relações públicas no Brasil. Hoje, a ADS, agência que ele fundou e dirigiu por 37 anos, até morrer, em 2008, 45ª no ranking do Anuário da Comunicação Corporativa 2015 da Mega Brasil, segue firme nas bases que ele assentou há exatos 45 anos, em janeiro de 1971. Agora sob a direção de sua filha, Rosana De Salvo, e da viúva, Ingrid Rauscher, cresceu 15% no ano passado, a despeito da crise, está investindo fortemente na área digital e vê com otimismo o futuro. Rosana falou ao Portal dos Jornalistas sobre a trajetória da agência e as perspectivas da empresa e do mercado: Portal dos Jornalistas – A ADS completou 45 anos em janeiro. Quais consideram terem sido os principais fatores para essa longevidade? Rosana De Salvo – Temos o orgulho de ser uma das primeiras agências brasileiras de comunicação corporativa do País e a única desde aquela época a manter suas operações. Somos precursores no desenvolvimento de ações de comunicação como responsabilidade social, programas de fidelização de clientes e fornecedores, organização de eventos, relações com a mídia, programas de prevenção e gerenciamento de crises, entre outros serviços. Isso só foi possível graças à visão estratégica dos profissionais que atuaram nesses 45 anos de história, ao reconhecimento dos clientes, à adoção das melhores práticas de comunicação e à constante inovação da agência, tanto que acabamos de mudar nosso slogan para “inovação desde sempre”. Portal dos Jornalistas – Como foi 2015 para a ADS? A agência conseguiu crescer? Em que percentual? Rosana – Nosso crescimento foi de 15% em 2015, especialmente na área de eventos da agência. O ano foi bastante desafiador e buscamos oferecer aos nossos clientes ações diretamente voltadas para resultados, fundamentais num ambiente econômico e político desfavorável. Portal dos Jornalistas – Com que cenários trabalha para 2016? Haverá espaço para crescimento, a despeito da crise política e econômica enfrentada pelo País? Rosana – A crise política e econômica sem dúvida afeta a todos indistintamente. Mas acreditamos que, ao mesmo tempo, ela trouxe uma grande oportunidade que é a valorização da ética e transparência. A sociedade mudou e a forma das empresas se comunicarem com os stakeholders também. Cabe às agências apoiar os clientes nesse cenário em que a comunicação digital assume maior importância. Por isso, a ADS está investindo fortemente no seu braço digital, mas de forma diferenciada, em que a produção de conteúdo de relevância está diretamente atrelada à geração de resultados de vendas para as áreas comercial e de marketing de nossos clientes. Nossa preocupação é proporcionar indicadores confiáveis aos nossos clientes para medirem o retorno dos investimentos realizados em comunicação. Portal dos Jornalistas – E quanto ao setor de RP como um todo, qual avaliação pode ser feita em relação a 2015 e uma projeção para 2016? Rosana – Vemos boas perspectivas, especialmente neste momento de disruptura que nos obriga a acelerar a tomada de decisão. A comunicação tem que dar respostas ágeis e em sintonia com os valores e necessidades das gerações presentes e futuras, em que todos são protagonistas, tendo em vista a nova era digital. Num cenário em que absolutamente tudo é observado, registrado e compartilhado em tempo real, as corporações que não tiverem uma comunicação clara, rápida e eficaz colocam suas imagem e reputação em risco. Uma agência com 45 anos, que vivenciou e superou diversas crises no País, tem a experiência necessária para ajudar os clientes a lidarem com os desafios. Portal dos Jornalistas – Quais os principais investimentos realizados pela agência em 2015 e o que está sendo projetado para os próximos anos, em especial 2016? Rosana – Como já dissemos, os investimentos do grupo ADS estão voltados ao braço digital, sem perder de vista serviços pelos quais também somos bastante reconhecidos pelo mercado, como os de relações com a mídia, organização de eventos, comunicação interna, publicações, programas de fidelização de clientes, prevenção e gerenciamento de crises, media training e ações de responsabilidade social. Estruturamos esse novo serviço e já estamos tendo respostas do mercado. Portal dos Jornalistas – Como anda a prospecção de novos clientes e negócios e o que se pode falar do atual estágio de concorrência no setor? Rosana – A concorrência no nosso mercado é cada vez mais acentuada e, por isso mesmo, há que se estabelecer parâmetros corretos de contratação, ou seja, a concorrência não pode ser baseada apenas no preço e sim no tipo de serviço prestado, na expertise da agência e na estrutura de atendimento disponibilizada. No caso da ADS, a procura por serviços de comunicação corporativa continua acentuada, pois é cada vez maior o entendimento de que a comunicação atua na reputação das empresas e impacta nos seus resultados. Portal dos Jornalistas – A internacionalização do setor de RP, na visão de vocês, deve continuar em 2016? Isso vai mudar muito o perfil do setor? Rosana – Sim, recentes movimentações no nosso mercado demonstram que o interesse de grupos estrangeiros em fusões e aquisições permanece. As agências brasileiras são reconhecidas internacionalmente por seus trabalhos de excelência e o Brasil é visto como um mercado potencial. Nenhum grupo internacional tem visão de curto prazo na efetivação de seus negócios, ou seja, para essas empresas, a crise brasileira é episódica. No caso da ADS, continuaremos representando o grupo Ecco no Brasil. Com sede em Londres, ele tem mais de 40 agências parceiras em todos os continentes.   Portal dos Jornalistas – Que novidades a ADS reserva para 2016? Rosana – Já lançamos no final de 2015 nossa nova identidade visual, incluindo a mudança de logotipia. Tivemos uma excelente aceitação de nossos clientes e do mercado para esse novo momento da agência, que demonstra sua capacidade de inovar. Com a criação do braço digital, a ADS marcará uma atuação diferenciada nesse segmento.