Abraji diz que cerca de 70% dos ataques à imprensa em 2020 vieram de agentes públicos

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) fez um levantamento das violações à liberdade de imprensa e de expressão nos primeiros meses de 2020 e registrou 24 ataques, sendo 17 vindos de agentes públicos – presidente, ministros, deputados, Polícia Militar, entre outros –, o que equivale a 70% do total.

Entre os casos registrados, sete foram feitos pelo presidente Jair Bolsonaro e outros sete por seus apoiadores, que incluem deputados, ministros e simpatizantes no Twitter. Para efeito de comparação, os resultados do estudo em 2019 detectaram 16 ataques à imprensa, sendo dois deles feitos por Bolsonaro e outros seis por seus apoiadores.

A entidade repudiou a postura do governo federal em meio à crise do coronavírus, classificando-a como irresponsável: “Enquanto a imprensa noticia os dados e eventualidades relacionados à doença, Bolsonaro elege, insistentemente, o jornalismo como inimigo público número um em seus pronunciamentos”.

Vale destacar que dos sete ataques feitos por Bolsonaro este ano, cinco ocorreram durante o contexto pandêmico atual. (Veja+)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *