Alecsandra Zapparoli lança a empresa de mídia digital Galápagos

Alecsandra Zapparoli

No mesmo período da pós do Insper, mas com apenas duas semanas de duração (22/7 a 1º/8), Alecsandra Zapparoli, ex-publisher e diretora de Conteúdo da Abril, marcará o início das atividades da sua empresa de mídia Galápagos Newsmaking com a Jornada Galápagos de Jornalismo, curso que busca repensar a lógica da produção, formatação e distribuição de conteúdo jornalístico, apostando em diversidade, regionalização, transparência, inovação, dados e, claro, pessoas.

Desde que deixou o cargo, há pouco mais de seis meses, ela começou a formatar a empresa por acreditar na necessidade de produção primária de conteúdo jornalístico, embora considere que sob o ponto de vista de modelo de negócio o momento seja altamente desafiador. Na prototipagem de alguns dos produtos, contou com a expertise em digital e mobile de Léo Xavier, atual CEO da Pontomobi, empresa da qual é fundador.

A primeira iniciativa da empresa, um curso gratuito de capacitação aberto a todas as pessoas que estão fazendo universidade ou têm diploma universitário com interesse em produção de conteúdo jornalístico (texto, vídeo, áudio, design, foto, programação, audiência e métrica), nasce com a premissa de compartilhamento de forças em prol de um objetivo comum: melhorar a formação de pessoas Brasil afora nas plataformas digitais, trazendo diversidade na produção, linguagem, pauta e, consequentemente, audiência.

Entre os parceiros que aceitaram compartilhar seu know-how estão Google News Lab, Twitter, AmazonKindle e Linkedin, entre outros. Também apoiam a iniciativa Ricardo Sales, do Mais Diversidade, e a empresa 2GetAmrop, rede global de busca de talentos, referência na área em disseminar a importância da diversidade no ambiente corporativo. “Criamos métricas para medir o impacto social do curso e aprimorá-lo ano a ano”, informa Alecsandra.

Marcas como Ambev, 99 e Nestlé são os primeiros patrocinadores e apoiadores da empreitada, que espera mobilizar milhares de candidatos com o potencial de impulsionamento das empresas de tecnologia. Do total de inscritos, 200 selecionados serão entrevistados preferencialmente em suas localidades e 30 farão a mentoria presencial de quinze dias em São Paulo, com todas as despesas pagas (estadia, deslocamento e alimentação). Os outros 170 também terão acesso ao material do curso via vídeo. As inscrições devem ser feitas pelo site do curso.

O conteúdo, presencial, em São Paulo, virará material online para ampliar a abrangência da mentoria, cuja curadora responsável é Giuliana Bergamo, jornalista, escritora e repórter especial do Prêmio Claudia (2015 a 2018). Ela atuará com Felipe Germano, que deixou a Superinteressante após três anos. Fazem parte da grade disciplinas e palestras sobre compromisso ético, checagem dos fatos, esclarecimento de notícias falsas, contranarrativa, podcasts, técnicas de entrevistas, edição de vídeos, empreendedorismo, tendências de comportamento da audiência e engajamento, entre outros temas.

A ideia, segundo Alecsandra, é que no final do processo boa parte do grupo se torne colaborador regular da Galápagos Newsmaking: “É uma forma de trazermos pontos de vista diferentes, revelar personagens desconhecidos e, claro, ajudar a Galápagos a ser sustentável, tendo uma rede de colabores de qualidade, mas que não precisem compor o custo fixo da empresa”.

Após formar a rede de colaboradores, Alecsandra lançará a DarwiNews, primeira marca da Galápagos. Com o slogan Só a diferença ensina e faz evoluir, a marca focará em temas sobre cidadania, incluindo aí cobertura de poder, diversidade, inovação e cultura. No portfólio haverá ainda três outras marcas: Sabor4Life, que acompanhará o fenômeno mundial da preocupação com a qualidade do que se come e o impacto disso na cadeia alimentar – do pequeno agricultor à indústria; FelizMente, que acredita que ter conhecimento para poder gerir a sua própria saúde é o melhor remédio para uma boa saúde mental e bem-estar; e PMEvolução, sobre empreendedorismo e iniciativas inovadoras no universo de pequenas e médias empresas.

“Todas as marcas terão como premissa apuração de qualidade, serviço, foco em vídeo e voz, não preocupação com audiência a qualquer custo e pontos de vista, sem estridência nem militância. Não acredito em jornalismo sem opinião”, diz ela. Para colocar o projeto de pé, Alecsandra tem buscado diversificação para financiá-lo, até que a Galápagos se consolide e ganhe engajamento. O modelo inicial e principal é o de patrono-fundador, para grandes empresas (as contrapartidas de investimento são desenhadas sob medida, especialmente na forma de produção de conteúdo proprietário, eventos, consultoria); e investidores na pessoa física que acreditam que informação de qualidade é necessidade básica humana.

“Queremos exercer o jornalismo sustentável, transparente e de credibilidade, criando uma empresa que inova nas formas de produzir e distribuir notícias, acredita nas pessoas, aposta na tecnologia, regionalização, diversidade e dados. E cumprir nossos propósitos e conceito de jornalismo evolucionário com leveza e, acima de tudo, ética”, completa.

Mais informações na Linhas Comunicação (11-3465-8888), com Danilo Barba (danilo@linhascomunicacao.com.br), Eric Finger (eric@) e Leonardo Oliveira (leonardo@).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *