Zé Hamilton Ribeiro mantém liderança entre jornalistas mais premiados

Eliane Brum segue em segundo, Miriam Leitão assume a terceira posição e João Antônio Barros passa a figurar no Top 10 Diferentemente do que ocorreu em 2012, quando registrou grande movimentação entre os dez mais premiados em relação ao ano anterior, a edição deste ano do Ranking J&Cia dos Mais Premiados Jornalistas Brasileiros de Todos os Tempos trouxe poucas mudanças na parte de cima da tabela. O levantamento, que pelo segundo ano consecutivo apontou José Hamilton Ribeiro como o mais premiado jornalista do País, com 965 pontos, teve entre suas principais novidades Miriam Leitão assumindo a terceira posição. Após conquistar em 2013 um Prêmio Comunique-se, um Mulher Imprensa e um Esso de Informação Científica, Tecnológica e Ambiental, ela ultrapassou seu colega de TV Globo Caco Barcellos e assumiu o posto com 830 pontos, 30 a menos do que Eliane Brum, com 860 pontos, que se manteve na segunda posição. Essa pontuação, aliás, garantiu a Miriam a sétima colocação entre os mais premiados de 2013, ranking que no ano passado ela liderou. Apesar de ter caído para a quarta colocação, Caco registrou um importante crescimento em sua pontuação neste ano, chegando aos 805 pontos com a conquista do Libero Badaró de Reportagem Cinematográfica, com a matéria Gramacho. Ele também foi beneficiado por uma mudança na pontuação do Jabuti, que passou a conceder mais 20 pontos aos vencedores do Jabuti de Reportagem que também forem premiados com o Jabuti de Melhor Livro do Ano – Não Ficção. Vale lembrar que ele venceu essa premiação em duas oportunidades: 1993, com Rota 66, e 2004, com Abusado. O reconhecimento do Maria Moors Cabot, mais antiga premiação jornalística de que se tem conhecimento no mundo, garantiu ao repórter especial da Gazeta do Povo Mauri Konig não apenas a terceira posição entre os mais premiados do ano, mas também duas posições no Ranking de todos os tempos, saltando de 7º, em 2012, para 5º neste ano, com 780 pontos. Na sexta posição, com 702,5 pontos, aparece o repórter da Rádio Gaúcha Cid Martins. Ele, a propósito, é o mais vitorioso em número de prêmios no Brasil, com 42 no total, sem considerar menções honrosas ou conquistas de 2ª e 3ª colocações. Outra novidade entre os dez mais premiados foi a chegada de um novo integrante, o repórter especial de O Dia João Antônio Barros. Com 685 pontos, ele saltou da 12ª posição, em 2012, para a sétima neste ano. Vencedor do Prêmio SIP em quatro oportunidades (1996, 1998, 2000 e 2008), esses resultados não haviam sido localizados pela pesquisa nos anos anteriores e passaram a ser contabilizados nesta edição. Do Rio Grande do Sul, vêm o oitavo e o nono lugares do ranking, que nesta edição ficaram respectivamente com o repórter especial da RBS Giovani Grizzotti, com 647,5 pontos, e com o também repórter especial de Zero Hora Carlos Wagner, com 560 pontos. E na décima colocação, outro gaúcho, porém com carreira quase que integralmente construída nacionalmente, o repórter da TV Globo Marcelo Canellas, com seus 557,5 pontos. O ranking segue com Clóvis Rossi (11º – 550 pontos), Fernando Rodrigues (12º – 515 pontos), Gilberto Dimenstein (13º – 480 pontos), Humberto Trezzi (14º – 450 pontos), Nilson Mariano (15º – 435 pontos), Mônica Bergamo e Sérgio Ramalho (16º – 402,5 pontos) e Angelina Nunes, Juca Kfouri e Ricardo Boechat (18º – 372,5 pontos). Humberto Trezzi é o jornalista mais premiado no Brasil em 2013 Base de dados se consolida e resultado apresenta menos variações que em 2012 116 prêmios e mais de seis mil jornalistas vitoriosos