UOL faz upgrade de sua rádio

Rodrigo Flores situa o conteúdo editorial no contexto musical Por Cristina Vaz de Carvalho, editora de J&Cia O UOL anunciou uma parceria com a plataforma de áudio francesa Deezer para ampliar o conteúdo musical gratuito que oferece. A Rádio UOL passa a se chamar UOL Música Deezer e a exigir um cadastro do usuário. São mais de 35 milhões de faixas musicais de diversos estilos, com audição grátis e ilimitada em desktops e laptops, permitindo compartilhamento nas redes sociais. Na versão Premium, que é paga, o usuário pode acioná-la também por celular e tablet, sem interferência de publicidade, mesmo estando offline. Segundo dados da Omniture – fornecedora de ferramentas para análise de websites –, o UOL é a maior empresa brasileira de conteúdo, produtos e serviços de internet, com mais de 7,4 bilhões de páginas vistas por mês e cuja homepage recebe mais de 50 milhões de visitantes únicos mensais. Em 2014, foi considerado pelo site Alexa – serviço para medir audiência pertencente à Amazon – o quinto site mais visitado da internet no Brasil. Detém uma plataforma abrangente de produtos e serviços nas áreas de publicidade, mobile, pagamento eletrônico, hospedagem diferenciada para empresas de qualquer porte, cursos e segurança. Além da produção própria de conteúdo, que conta com cerca de 200 profissionais, e mais o da Folha de S.Paulo, o UOL tem acordos também com Band, canais Discovery, ESPN, RedeTV e a Jovem Pan. Quem falou a J&Cia sobre as características do novo negócio foi Rodrigo Flores. Paulistano, 38 anos, Flores é jornalista formado pela USP e pós-graduado em Política Estratégica na mesma universidade, com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. Ainda na faculdade, passou por revistas e jornais regionais e, em 1999, fez sua entrada na grande mídia – o UOL, que iniciara as operações três anos antes. Desde 2011 é diretor de Conteúdo do portal. Jornalistas&Cia – O que significa exatamente essa parceria? Rodrigo Flores – Estamos renomeando a Rádio UOL, que continua existindo, e reestruturando nosso serviço gratuito de música. Antes, fazíamos negociações com as gravadoras por conta própria, e nosso acervo chegava a centenas de milhares de faixas. Com esse acordo, passamos para 35 milhões. Uma enorme diferença. J&Cia – E para o UOL, em termos operacionais? Rodrigo – A equipe é a mesma da Rádio UOL. A que produz podcasts editoriais e temáticos, playlists editoriais, não necessariamente musicais. Para nossa equipe editorial, a diferença é ter muito mais produtos para compor esse conteúdo. Não se jogam 35 milhões de músicas sem curadoria, e assim, tentamos agregar valor editorial, uma interferência editorial. Para quem quiser, é claro… O usuário pode apenas ouvir música. J&Cia – A nova plataforma terá conteúdo exclusivo, entrevistas. Em que isso se diferencia do noticiário permanente do UOL? Rodrigo – Há um projeto de gravações originais e releituras de algumas faixas, pois teremos acesso a todas as músicas do mundo. O UOL continua cobrindo notícias numa boa, como sempre fez. Em um segundo momento, vamos agregar isso a todo o conteúdo musical do UOL. Hoje, temos um produto que toca e outro que escreve notícias. Enquanto você ouve Madonna, vai poder ler notícias sobre Madonna – vamos criar sinergia de temas. J&Cia – A equipe é a mesma ou houve remanejamento? Haverá contratações? Rodrigo – Mantemos a mesma equipe, de quatro pessoas, da Rádio UOL, mais os convidados. O conteúdo tende a aumentar em todas as áreas, mas seria prematuro prever isso agora. Nesses 15 anos, a Rádio UOL foi pioneira em levar músicas grátis para o Brasil. Com esse acordo com a Deezer, não só mantém o compromisso como tem a certeza de levar uma experiência melhor para o internauta.