Regina Helena Ramos lança livro sobre o pai

Capa do livro

Regina Helena de Paiva Ramos lança na Associação Paulista de Homeopatia  (rua Diogo de Faria, 839), O livro de meu pai. Um quase romance (RG Editores – pedido@rgeditores.com.br e 11-3230-8676), biografia do médico Manoel de Paiva Ramos, que aderiu à homeopatia na década de 1940. Formado em 1923 na Faculdade de Medicina da Praia Vermelha, no Rio de Janeiro, passou três anos na Alemanha em especialização de pediatria e lá conheceu os leites medicamentosos kefir e iogurte, que salvavam vidas de crianças com desidratação e prolongavam a vida, como na Bulgária, onde a porcentagem de idosos com mais de 90 anos era maior do que em toda a Europa. As estatísticas informavam que na Bulgária todos tomavam kefir. Na volta ao Brasil trouxe na bagagem os germes do kefir e do iogurte e os introduziu no País.

“Meu pai foi corajoso e audacioso nas suas colocações e merecia um relato da sua vida”, diz Regina. “Não foi apenas pioneiro, foi absolutamente invulgar. Quando, na década de 1970, trabalhava gratuitamente na Policlínica de São Camilo, foi notificado de que precisaria receber honorários, já que a policlínica passara à Prefeitura. Então pediu ao prefeito Wladimir de Toledo Piza que seu salário fosse fixado em CR$ 1 (cruzeiro, a moeda da época) anual”.

Formada pela quarta turma da Faculdade de Jornalismo Cásper Líbero, em 1953, Regina trabalhou em O Tempo, A Gazeta, Folha da Tarde, Diário Popular e Correio da Manhã (sucursal em São Paulo), nas revistas Casa e Jardim, Manchete, Fatos e Fotos, Jóia e Construção em São Paulo, e nas tevês Excelsior e Bandeirantes. Foi editora do jornal O São Paulo, da Cúria Metropolitana de São Paulo, na década de 1970, trabalhando com D. Paulo Evaristo Arns. Aposentou-se como editora de País da revista Visão e colaborou até recentemente na revista Problemas Brasileiros. É autora dos livros Isso é definitivo? (Melhoramentos, 1979), Culinária tradicional paulista (Melhoramentos, 1996), As duas noras (Musa Editora, 2000), Mata Atlântica. Vinte razões para amá-la (Musa Editora, 2005), Mulheres jornalistas – A grande invasão (Imprensa Oficial, 2010) e da peça teatral E agora, o que eu faço com o pernil?, encenada por Rosamaria Murtinho e Cláudio Cavalcanti de 2004 a 2007 e também publicada em livro (Giostri Editora, 2012).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *