Mídia.JOR debate o papel da inteligência artificial no jornalismo

Da esquerda para a direita: Camila Marques (Folha de S.Paulo), Leonardo Cruz (Estado de S. Paulo), Daniel Flynn (Thomson Reuters) e Leão Serva (TV Cultura)

A quinta edição do mídia.JOR, realizada em 26/9 (quinta-feira) no Teatro Unibes Cultural em Perdizes, por iniciativa do Portal e Revista Imprensa, promoveu uma série de debates sobre a importância da inteligência artificial no jornalismo como um todo, o seu papel no combate às fake news, sua utilidade no jornalismo de dados e inovações tecnológicas nas redações e empresas de comunicação, com quatro grandes painéis.

Os temas principais foram a inteligência artificial nas redações pelo mundo e no Brasil, o uso dela no combate à desinformação e os impactos financeiros provenientes dessa tecnologia.

Entre os participantes do evento destacam-se Laura Ellis, diretora de Inovação Tecnológica da BBC (Londres), que participou por videocall e apresentou um breve resumo sobre a tecnologia e os desafios enfrentados pelos jornalistas sobre o assunto; Leonardo Cruz (Estadão), que mostrou usos de IA no jornal; e Tai Nalon (Aos Fatos), que analisou a importância da IA na computação de dados e no combate às fake news.

Lúcio Mesquita (Innovation Media), curador do evento, diz que a inteligência artificial é fundamental no mundo jornalístico: “Ela já é pauta diária de qualquer redação. É preciso entender os princípios, os riscos e como funciona. Não entendê-la vai levar a erros de reportagem e de informação, no sentido de como contar às pessoas o que ela é, além de dificuldades em debater questões legais e princípios éticos que devem reger o assunto, ou seja, como a vida dos cidadãos mudará com a IA”. (Veja+)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *