Lançada edição póstuma de livro de Sidnei Basile

A editora Campus/Elsevier lançou na última semana, a 2ª edição do livro Elementos de Jornalismo Econômico, que Sidnei Basile escreveu no início da década passada. Revista e ampliada pelo próprio autor, falecido em março deste ano, a nova edição aborda temas atuais, como Lei de Imprensa e multipolarização do poder, além de trazer um relato sobre a produção de matérias econômicas e suas principais ferramentas de apoio. Advogado e cientista social formado pela USP, Sidnei foi vice-presidente de Relações Institucionais da Editora Abril e professor de Jornalismo Econômico na Faculdade de Jornalismo Cásper Líbero. Segundo Elizabeth Basile, viúva de Sidnei, ele vinha trabalhando na nova edição havia alguns anos: ?Decidimos manter o livro do jeito que achamos que ele gostaria que fosse lançado. Os novos capítulos, as revisões e as novas histórias desta edição foram todas escritas por ele. Até a capa foi ele que escolheu?. No Prefácio, os filhos Alexandre, Juliano e Felipe Basile relembram, com saudosa emoção: ?Passados alguns anos do lançamento deste livro, nosso pai começou a trabalhar na reedição que o leitor tem agora em mãos. Ele reviu cada capítulo, fez acréscimos e contou novas histórias. A reedição do livro fazia parte de seu plano de vida de continuar a transmitir o conhecimento e a experiência acumulados em décadas de prática jornalística. Era onde pretendia deixar suas mensagens, continuar o seu projeto de levar um pouco mais de seu conhecimento para as pessoas que iniciavam a carreira profissional e também ingressar em discussões pertinentes a quem já está estabelecido há mais tempo na profissão. Ele começou esse processo com grande entusiasmo. Pretendia acrescentar pelo menos cinco capítulos novos aos 16 da primeira edição. No fim de 2010, quando estava envolvido nesse processo, Sidnei foi surpreendido por uma fortíssima dor de cabeça, tão intensa que o deixou alguns dias sem trabalhar. Num fim de semana, foi para o hospital, onde soube que tinha uma inflamação no cérebro. Tratava-se de uma doença rara, mas que não o impossibilitaria de continuar as suas atividades, após um período de tratamento. A doença não deixaria sequelas e ele logo voltaria a escrever, trabalhar, conviver com família e amigos. Mas, no início de 2011, uma súbita piora o levou novamente a exames que revelaram um tumor maligno no cérebro?.