Justiça amazonense censura reportagem do Intercept Brasil

A reportagem Candidato de Manaus conta com o hospital da família, a Covid e o Judiciário para subir nas pesquisas, do Intercept Brasil, foi retirada do ar pela Justiça Eleitoral amazonense. O texto, publicado em 13/11, contava como Ricardo Nicolau (PSD), candidato à Prefeitura de Manaus mas que acabou sendo derrotado,  aproveitou seu acesso privilegiado ao interior do hospital municipal de campanha da cidade para gravar imagens vestido de branco e visitando leitos de pacientes como se fosse um médico.

A reportagem mostrava também que parte das ações judiciais movidas pelos adversários de Nicolau contra ele foram julgadas pela juíza eleitoral Margareth Rose Cruz Hoaegen. Ela decidiu em favor do candidato em dois processos que questionavam as imagens filmadas dentro do hospital. O texto do Intercept destacava que a juíza é grande amiga de Jeanne Nicolau, cunhada do candidato, e que também esteve no aniversário de Jean Cleuter, advogado de Ricardo Nicolau.

Após a publicação, o candidato pediu a exclusão da matéria e inclusive o fim do Intercept Brasil. Nicolau entrou com quatro representações contra a reportagem, e uma delas ficou sob responsabilidade do juiz Alexandre Henrique Novaes de Araújo, que, assim como a juíza Hoaegen, também tem relações próximas com a família Nicolau, segundo o Intercept.

O juiz manteve o site no ar, mas determinou a censura do texto, alegando que “a publicação imputa fatos sabidamente inverídicos”. O Intercept escreveu que, “até agora, não sabemos o que, na reportagem, era ‘sabidamente inverídico’”. (Veja+)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *