19.3 C
Nova Iorque
domingo, maio 26, 2024

Buy now

Jornais se unem para mostrar força a leitores e anunciantes

Publishers de Folha de S.Paulo, Estadão, O Globo e Zero Hora falarão sobre a força do jornal no 10º Congresso Brasileiro de Jornais, nesta 3ª.feira (19/8) em São Paulo. O painel, no WTC Events Center (av. das Nações Unidas, 12.551), com Luiz Frias, Chico Mesquita, João Roberto Marinho e Nelson Sirotsky, será mediado por Renata Lo Prete. Com ele, a Associação Nacional dos Jornais anuncia a união da indústria jornalística do Brasil para mostrar a leitores e ao mercado anunciante que o jornal continua sendo um dos mais fortes e relevantes meios de comunicação no Brasil e no mundo. O movimento é resultado do trabalho realizado pelos comitês da ANJ no último ano e tem por objetivo posicionar o jornal não só como o mais influente e o mais relevante difusor de notícias, mas também como um meio importante para lançar, fortalecer e renovar marcas e produtos. Em nota, Marcello Moraes, CEO da Infloglobo e membro do Comitê de Gestão da ANJ, afirma que o meio se mantém presente e atuante em seu formato tradicional, o papel, mas consolida-se cada vez mais como veículo multiplataforma: “A leitura dos jornais está viva e se renova rapidamente graças aos novos formatos. Os jornais nunca tiveram tanta audiência como agora, considerando as diversas formas de distribuição do conteúdo. (…) Mas o que queremos mostrar com esse movimento é que a razão pela qual as pessoas buscam a leitura do jornal tanto no papel como na internet é a mesma: a credibilidade”, disse Moraes. Ainda segundo nota da ANJ, os números do mercado comprovam a presença e a força do jornal no País. Conforme levantamento encomendado pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República este ano, o impresso é o meio no qual o leitor mais confia (53% do público partipante da pesquisa). Também este ano, a ComScore apurou que 57% dos leitores que acessam notícias na internet no Brasil o fazem por meio dos jornais. Já os Estudos Marplan EGM, de janeiro a dezembro de 2013, revelam que 62% dos leitores de jornal não fazem outra atividade enquanto estão lendo.  Liderado pelo grupo de jornais que representa 90% da audiência do meio no País, o movimento ganhou forma após estudo da Lew’LaraTBWA para identificar a imagem atual dos jornais brasileiros junto a diferentes públicos Ele consumiu dois meses de pesquisas e revelou que os principais ativos dos jornais continuam sendo o conhecimento e a credibilidade. Ainda que existam cada vez mais mídias, incluindo as sociais, que permitem que leitores sejam também produtores de notícias, o jornal é ainda considerado fonte essencial de informação e também o maior responsável pelo endosso no compartilhamento de uma notícia, seja pela credibilidade, responsabilidade ou agilidade com que realiza a apuração dos fatos. Feito o diagnóstico, a ANJ passou a desenvolver ações estratégicas para promover a força do jornal e incrementar suas relações comerciais. A agência também foi convidada a desenvolver a campanha de mídia que integra o projeto. Para Marcelo Rech, diretor executivo de Jornalismo do Grupo RBS e membro do Comitê Editorial da ANJ, o estudo mostra que os jornais continuam fortes como formadores de marca e veículos de credibilidade indiscutível, agora, extrapolando o formato do papel e passando a ocupar seu espaço no ambiente multiplataforma: “A oferta de fontes de informação e entretenimento é cada vez mais difusa e, por isso, os entrevistados afirmaram que, quando é preciso ter certeza de algo que tomaram conhecimento, recorrem aos jornais”, disse Rech na nota. “De uma maneira ou de outra, todos os jornais já vêm comunicando essa mensagem individualmente. Mas o que há de novo agora com esse movimento é a união dos grandes jornais brasileiros em torno do mesmo tema. Há muita força nessa comunicação coletiva”. A partir disso nasceu o conceito Jornal. Está em tudo, que permeia todas as peças da campanha publicitária. Serão veiculados anúncios nos jornais associados à ANJ, spots de rádio e uma grande quantidade de peças interativas na internet, plataforma que ganha ainda mais importância no trabalho de reposicionamento do meio, dada a grande audiência gerada pelos canais digitais dos jornais. Além de propor uma nova comunicação junto a leitores e anunciantes, os associados ANJ assumiram o compromisso de propor ao mercado soluções que atendessem de maneira mais ampla e assertiva as suas necessidades. Com esse propósito surge a Digital Premium Jornais, plataforma na internet onde será possível negociar peças online nos sites de todos os veículos participantes. A mensuração de dados dos portais e dispositivos digitais dos jornais ganhará também maior atenção do setor, que sempre priorizou a circulação como seu principal diferencial e hoje trabalho no aperfeiçoamento dessas métricas junto a institutos verificadores. Para a entidade, o esforço é necessário uma vez que a circulação há muito deixou de ser a audiência real dos jornais, tendo em vista a grande migração de leitores do papel para a internet nos computadores, celulares e tablets. Na outra ponta, o papel ainda representa grande força da cobertura nacional dos jornais e, por essa razão, até o início do próximo ano estará em funcionamento o Marketplace de Jornais, ferramenta que permitirá a simulação de compra de anúncios impressos em dezenas de jornais brasileiros, com a possibilidade de negociação, o levantamento de audiência por meio de métricas unificadas e validadas pela ANJ e, consequentemente, mais fácil implementação de campanhas nacionais de grande alcance. “A viabilização dessa série de ações simboliza a força coletiva e o compromisso assumido pelos líderes do mercado com a renovação dos jornais”, finaliza Marcello Moraes.

Related Articles

22,043FãsCurtir
3,912SeguidoresSeguir
21,800InscritosInscrever

Últimas notícias

pt_BRPortuguese