Delloite aponta rádio e assistentes digitais como tendências para 2019

Luciana Gurgel

Por Luciana Gurgel, especial para o J&Cia

O ano começa com boas novas tanto para o tradicional rádio como para os smart speakers (assistentes digitais), bebês favoritos da mídia digital. Um estudo da consultoria Delloite divulgado na semana passada apontou duas grandes tendências para 2019: o crescimento no uso dos assistentes digitais conectados à internet,que devem alcançar uma base instalada de 250 milhões de unidades no mundo, e um aumento nas receitas publicitárias do rádio.

Os dados fazem parte da 18ª edição do TMT Predictions. O relatório é baseado em pesquisas feitas pela própria Delloite, por terceiros e também entrevistas e conversas com especialistas.

Rádio: menos afetado pelas tecnologias digitais – O aumento previsto das receitas do rádio é de apenas 1%. Não é tanto assim. Considerando que os demais meios tradicionais têm visto o faturamento cair ao longo dos anos, porém, a notícia é digna de nota.

Segundo Paul Lee, diretor-geral de Pesquisa de Mídia, Tecnologia e Telecomunicações da Delloite, o rádio deverá ser uma exceção em um cenário de profunda transformação causada pelos meios digitais, e pode acabar não sendo dramaticamente afetado por eles como outros meios.

Lee afirma que o rádio está cada vez mais vivo em todas as faixas etárias, com quase três bilhões de ouvintes (frequência mínima de uma vez por semana) em 2019. E sustenta que o temor de que ele seria suplantado pelo vídeo ou pelo streaming não está se confirmando na prática. Leva vantagem, segundo ele, porque pode ser ouvido enquanto a pessoa faz outras atividades. E vai além: mantido esse ritmo, a aposta é de que a audiência do rádio supere a da TV em 2050

A Delloite prevê que a receita global do rádio deve superar os 40 bilhões de dólares em 2019. O Reino Unido é o quinto maior mercado publicitário desse meio. Os Estados Unidos são os maiores, disparados. A Alemanha ocupa a segunda colocação.

Smart speakers

Smart speakers: a TV do futuro? – O relatório da Delloite indica que os veículos de comunicação que desenvolvem produtos para assistentes digitais estão no caminho certo. Eles serão os aparelhos conectados à internet com maior crescimento em 2019.

A previsão é de que sejam vendidas pelo menos 164 milhões de unidades pelo mundo só este ano. As vendas globais atingirão 5,6 bilhões de libras, num crescimento vertiginoso de 63% em relação ao ano passado.

Aqui no Reino Unido, 12% dos adultos (6,2 milhões de pessoas) já tinham acesso a eles até meados de 2018 – sem contar ainda as vendas do Natal, em que despontaram como objeto de desejo. Na China o percentual chega a 22%, e nos Estados Unidos, 19%, de acordo com a consultoria. 

A previsão da Delloite é arrojada. Por enquanto,os smart speakers ainda figuram em sétimo lugar entre os equipamentos digitais utilizados pelos consumidores. Mas a consultoria projeta que a demanda por eles será maior do que por smartphones. Aposta que os aparelhinhos em breve estarão instalados em todos os quartos das casas, hotéis, escritórios, escolas e até mesmo ao lado de cada leito de um hospital.

Os ventos podem tornar-se ainda mais favoráveis com o aprimoramento da tecnologia de reconhecimento de voz e com o aumento da oferta de aplicativos. Isso sem falar no desenvolvimento de soluções melhores para tradução, já que hoje os maiores consumidores são os países de língua inglesa. Esse desenvolvimento permitirá que mercados que falam outros idiomas – como o Brasil – tenham acesso a conteúdos globais, fazendo crescer exponencialmente a necessidade de ter um deles por perto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *