Chico Otávio e Vera Araújo lançam Mataram Marielle

Esta semana (17/11), Chico Otávio e Vera Araújo lançaram nas livrarias, pela editora Intrínseca, Mataram Marielle – Como o assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes escancarou o submundo do crime carioca. Livro-reportagem, fruto de apuração minuciosa dos premiados repórteres investigativos, o assassinato da vereadora e seu motorista, em 2018, tornou-se emblemático não somente por ser um claro ataque à democracia e às bandeiras defendidas pela parlamentar, mas também por marcar um novo patamar de atuação da criminalidade na cidade.

Repórteres experientes e testemunhas de longa data de várias investigações policiais, os autores esmiuçaram a rede que movimenta o submundo carioca: traficantes, milicianos, torturadores egressos dos porões da ditadura, ex-policiais treinados assumindo o papel de assassinos de aluguel, bicheiros. As disputas travadas entre eles estão por toda parte, povoam as páginas do livro e mostram como o caso foi determinante para escancarar a atuação do crime na capital fluminense.

Chico Otávio é repórter e professor de Jornalismo na PUC-Rio. Iniciou a carreira em 1985, na Última Hora, passou pela sucursal Rio do Grupo Estado, produzindo reportagens para O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde e Agência Estado. Em 1997, transferiu-se para O Globo, onde hoje cobre Política. Ganhou sete vezes o Prêmio Esso. Vera Araújo é repórter de O Globo, além de advogada, tendo passado por Jornal do Brasil e O Dia. Em 2005, revelou a existência de grupos paramilitares que extorquiam dinheiro de moradores e foi dela a ideia de batizá-los como milícias. Pela reportagem, ganhou o Especial Tim Lopes de Jornalismo Investigativo e depois, entre outros, o Embratel, um Esso Regional, e o Troféu Mulher Imprensa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *