App da Agência Pública propõe passeio pela História do Porto Maravilha

* Por Cristina Vaz de Carvalho, editora de Jornalistas&Cia no Rio de Janeiro

 

A Agência Pública lançou em 23/6 um aplicativo sobre a História do Brasil. Por acreditar que o jornalismo pode transmitir conhecimento de maneira divertida e transformadora, a Agência escolheu a zona portuária do Rio para propor cinco roteiros que levam o título de Museu do Ontem.

Natalia Viana e sua equipe na Casa Pública dedicaram um ano ao trabalho de pesquisa jornalística para descobrir histórias que não estão nos livros. O desenvolvimento do aplicativo é do holandês Babak Fakhamzadeh. A artista plástica Juliana Russo responde pela concepção gráfica e ilustrações. Para quem procura recriar a experiência de estar no Porto naquela época, os roteiros usam trechos do livro 1808, de Laurentino Gomes, e anúncios de venda de escravos em jornais, na voz da cantora Anelis Assumpção.

Ao unir jornalismo, tecnologia e arte, com uma pitada de Pokémon Go – pois o usuário pode se propor a descobrir lugares e personagens, ou colecioná-los –, o aplicativo oferece a exploração da região como se fosse um game. No início, é preciso baixar na App Store ou Google Play. Um mapa atual pode ser comparado com um mapa da área no século 19.

Novo app da Agência Pública oferece cinco roteiros temáticos pela região central do Rio de Janeiro

São cinco roteiros temáticos, para serem seguidos a pé: o Tour da Corrupção começa com Dom Pedro I e vem até escândalos da Lava Jato; o Tour do Terror lembra cenas grotescas que ali ocorreram desde Dom João VI; o Tour do Samba vai do primeiro terreiro de candomblé aos galpões das escolas atuais; o Tour dos Fantasmas lembra episódios que assombram o centro da cidade; e o História do Brasil Express relata fatos muito importantes para o País, como o desembarque de 700 mil negros escravizados e a execução de Tiradentes.

Ainda em julho, a Pública pretende promover uma série de caminhadas no Centro, chegando a grupos de estudiosos e turistas. “O Rio de Janeiro inspira curiosidade histórica, e o Porto é um reflexo disso, uma concentração da História do Brasil”, diz Natalia Viana (natalia@apublica.org).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *