Mariza Tavares

A carioca Mariza Tavares, diretora-executiva da Rede CBN, completou 33 anos de profissão em 2011 e diz não saber explicar de onde veio a inspiração para fazer Jornalismo, pois não tinha nenhuma referência familiar na área. Dividida entre Medicina, Sociologia e Jornalismo na época do vestibular, foi a paixão por leitura e escrita que a levou para a profissão. Queria começar a trabalhar logo e ser independente.
Nome completo, Mariza Tavares Figueira. Nasceu em 20 de outubro de 1958, no Rio de Janeiro (RJ). Formou-se em Jornalismo pela Universidade Federal Fluminense (UFF/RJ), em 1980, e fez mestrado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (Ufrj/RJ), tendo recebido o título de mestre em Comunicação em 1984. Em 1999, integrou a 27ª turma do curso PDE (Parceria para o Desenvolvimento Empresarial) da Fundação Dom Cabral; entre 2001 e 2002, fez MBA Executivo em Gestão de Negócios pelo Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec/RJ).
Em entrevista à revista Imprensa (nº 239) falou da sua experiência na revista Amiga, entre 1978 e 1981, marco do início de sua trajetória profissional, como repórter, na Bloch Editores. Trabalhou também na Editora Vecchi, como redatora e subeditora. Entre 1983 e 1987, foi colaboradora das revistas Clínica Médica, Jornal Brasileiro de Medicina, Senecta, Hospital Moderno, Enfermagem Moderna e Quatro Rodas.
Passou a integrar a equipe da revista Veja em 1987, como repórter, sendo depois promovida a editora-assistente. Em 1989, tornou-se chefe de Reportagem do Segundo Caderno de O Globo. Nesse veículo também ocupou os cargos de chefe de Reportagem da editoria Rio; editora-adjunta de Rio e País; editora de Rio e dos Jornais de Bairro; editora-executiva e gerente geral da Agência O Globo.
Deixou O Globo em fevereiro de 2002 para assumir a direção da CBN, a Central Brasileira de Notícias, que integra o Sistema Globo de Rádio. Mas no microfone ela estreou apenas em agosto de 2008, com o Notícia em Foco, programa semanal que debate mídia e comunicação, do qual é âncora ao lado de Renato Machado e Roberto Nonato.
Recebeu o Prêmio Esso de Jornalismo na categoria Informação Científica ou Tecnológica (Mariza Tavares et alii) pelo trabalho Choque com a vida, em 1988. Em 2002, foi agraciada com o título de Jornalista Amigo da Criança, concedido pela Agência de Notícias dos Direitos da Infância (Andi). Recebeu ainda o Troféu Mulher Imprensa das edições 2007 e 2008, na categoria Diretora ou Editora de Redação.
Na área acadêmica, foi professora-bolsista da Ufrj entre 1989 e 1990, lecionando as cadeiras de Redação Técnico-Editorial I, II e III e Editoração I. Coordenou e foi uma das autoras dos livros CBN, a rádio que toca notícia (Editora Senac-Rio, 2006) e Manual de Redação CBN (outubro de 2011). Também tem, de sua autoria, os livros de poesias Fio (Jaboticaba, 2006) e Privação de Sentidos (7Letras, 2008). Sintetiza no poema Executiva seu cotidiano na direção da maior rede de radiojornalismo do País: ?Conjugo excelência e exaustão, e tento expiar o pecado de ser exemplar?.
Adora viajar e prefere as metrópoles. Entre a praia e os programas culturais, fica com a segunda opção.
Atualizado em setembro de 2011
Fontes:
Revista Imprensa » Edição 239 (out/2008)
Atual Portal; Setembro 2011.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *