Julio Wiziack

Julio Wiziack é natural de Barretos/SP e jornalista diplomado pela ECA, Escola de Comunicação e Artes/USP, na capital paulista, desde 1998. No período foi um dos participantes do Curso Abril de Jornalismo.

Começou a carreira em 1995 como repórter freelance do Almanaque Abril, na editora paulistana. Naquela época, dividia seu tempo entre o jornalismo e o piano erudito, atividade que mantém. “Eu realmente acreditava que seria pianista de concerto e não um jornalista puro sangue”, disse em uma entrevista online.

A partir de 1998 passou a dedicar-se exclusivamente ao jornalismo. Na época, recém-formado, foi um dos 20 selecionados no Curso Abril de Jornalismo, na categoria texto. Seu treinamento foi na redação da revista Veja, onde depois continuou por mais três meses como estagiário e foi contratado como repórter.

Pouco tempo depois foi para a Folha de S.Paulo, na época do boom da internet; com quatro meses de casa pediu demissão e se juntou à turma de amigos e colegas da Veja no Onnews, um dos primeiros jornais de finanças para investidores na internet. No veículo escreveu sobre temas de economia, finanças e tecnologia e conseguiu uma entrevista exclusiva com o então presidente da República, Fernando Henrique Cardoso. “Foi um fato notável para um repórter em início de carreira que trabalhava para um veículo desconhecido”, disse com orgulho.

Posteriormente, o jornalista passou ainda pelo site da revista IstoÉ Dinheiro, em São Paulo (SP), na função de editor, algum tempo depois foi transferido para a revista impressa onde atuou para as editorias de ciência, tecnologia e meio ambiente.

Em seguida, teve uma curta experiência na edição do site da revista Época, na Editora Globo de São Paulo (SP) e, de lá assinou com o jornal Folha de S.Paulo, pois “sentia muita falta da vida de repórter”.

Na redação da Folha, passou a produzir reportagens sobre economia, negócios, mercado, tecnologia e esportes, e a colaborar com outros temas.  

Em 2012, junto com equipe, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo com a série de reportagens O jogo suspeito e a queda de Ricardo Teixeira que derrubou este presidente da CBF depois de 23 anos no cargo. Foram autores das reportagens os repórteres Leandro Colon, Filipe Coutinho, Rodrigo Mattos e Sérgio Rangel.

Atualmente (em 2013) Julio ocupa o cargo de repórter especial da Folha e, em paralelo, é um estudioso dos temas relacionados à homossexualidade e colaborador com artigos para revistas especializadas.

É autor do livro Abrindo o armário – encontrando uma nova maneira de amar e ser feliz, publicado em 2006 pela Editora Jaboticaba.

Julio Wiziack também continua a se dedicar ao piano, por vocação, e à divulgação da música erudita brasileira.

 

 

Atualizado em outubro/2013 – Portal dos Jornalistas

Fontes:

http://www.oguaira.com.br/jornalista-barretense-vence-maior-premio-do-jornalismo-brasileiro/

http://g1.globo.com/economia/midia-e-marketing/noticia/2012/11/saem-os-vencedores-do-premio-esso.html

http://www.odiarioonline.com.br/noticia/9204/JORNALISTA-BARRETENSE-VENCE-PREMIO-ESSO-DE-JORNALISMO

http://www.editorajaboticaba.com.br/livro.asp?cod=23

http://www.telcomp.org.br/site/index.php/noticias-setor/teles-esperam-ate-3-anos-por-licenca-de-antena

http://www1.folha.uol.com.br/poder/1184240-folha-ganha-o-grande-premio-esso-com-serie-sobre-ricardo-teixeira.shtml

http://www.istoe.com.br/reportagens/3779_QUAIS+AS+OPCOES+DE+ALCKMIN

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *