Landell de Moura ? Nas mãos de muitos, avança o reconhecimento

Por Hamilton Almeida, especial para J&Cia 2011, ano do sesquicentenário de nascimento de Roberto Landell de Moura, o padre-inventor que primeiro transmitiu a voz humana à distância através de ondas eletromagnéticas, foi pontilhado de eventos, principalmente em Porto Alegre (sua cidade natal), São Paulo e Brasília. A vida e obra desse personagem tão ilustre quanto pouco conhecido da maioria dos brasileiros foi difundida este ano com uma intensidade inédita. A campanha pelo reconhecimento oficial dos méritos científicos do verdadeiro inventor do rádio começou em julho de 2009, com a criação do MLM ? Movimento Landell de Moura (www.landelldemoura.qsl.br) e ganhou forte impulso com a adesão deste J&Cia à causa, no ano passado, e da Prefeitura Municipal de Porto Alegre, este ano, através do Gabinete de Inovação e Tecnologia (Inovapoa). Em junho de 2010, o então senador Sérgio Zambiasi apresentou Projeto de Lei propondo a inclusão do nome do padre Roberto Landell de Moura no Livro dos Heróis da Pátria. A iniciativa contou com o apoio dos assessores Dirceu Goulart e Marcello Antunes. Em setembro, o programa Antena Paulista, da TV Globo, conduzido por Carlos Tramontina, exibiu reportagem sobre Landell e o MLM. Neste mesmo mês, a Folha de S.Paulo publicou, na página 3, artigo assinado pelos jornalistas Eduardo Ribeiro e Hamilton Almeida: O brasileiro que inventou o rádio. Em novembro, a Fundação Armando Álvares Penteado (Faap) promoveu seminário. O 150º aniversário de nascimento do padre-cientista, em 21 de janeiro de 2011, foi celebrado pelos Correios com o lançamento de selo comemorativo em Brasília, Campinas (lá, padre Landell deu início à sua carreira de cientista) e Porto Alegre. Na capital gaúcha, celebrou-se missa em Ação de Graças na igreja Nossa Senhora do Rosário, onde ele foi pároco na etapa final de sua vida. E, no auditório do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul, que guarda os documentos originais das invenções patenteadas, foi realizado seminário histórico e o lançamento do Ano de Inovação Pe. Landell de Moura, pela prefeitura local. Fevereiro : inserção do perfil de Landell nas redes sociais (Facebook e Twitter). Março 😮 ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, declara que as criações e o trabalho de Landell devem ser reconhecidos no Brasil: ?O Ministério das Comunicações apoia o reconhecimento do padre como inventor do rádio e acredita que o MLM é uma iniciativa importante na divulgação dos trabalhos e da história do inventor. Precisamos trabalhar para que o padre Landell seja verdadeiramente reconhecido pelos brasileiros como o pai do rádio?. Senac-SE promove palestra de Hamilton Almeida e os Correios lançam o selo em Aracaju. Abril :a Editora Record doa centenas de exemplares do livro Padre Landell de Moura: um herói sem glória, de autoria de Hamilton, para Secretaria Municipal de Educação de Porto Alegre, Biblioteca Pública do Estado do Rio Grande do Sul e Sistema Estadual de Bibliotecas do RS. A pesquisadora gaúcha Vania Maria Abatte também doa exemplares do livro Confissões de um padre-cientista. Os Correios fazem novo lançamento do selo, desta vez em Guarulhos (SP). A Biblioteca Mário Schenberg, de São Paulo, realiza exposição sobre o padre. Maio :por iniciativa do vereador Eliseu Gabriel, a Câmara Municipal de São Paulo entrega a familiares de Landell o título de Cidadão Paulistano in memoriam. O Museu da PUC-RS abre espaço para a mostra Padre Landell de Moura e o rádio: uma história de pioneirismo brasileiro. O curso de Museologia da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS promove exposição no Memorial do Rio Grande do Sul: Do confessionário ao wireless: Landell de Moura, o padre inventor. Junho : o senador Sérgio Zambiasi apresenta o Projeto de Lei que dispõe sobre a inscrição do nome de Landell no Livro dos Heróis da Pátria. Inicia seminário de extensão na UFRGS: Por que Padre Landell de Moura foi inovador?. Durante quatro meses debatem-se, mensalmente, a trajetória do padre cientista, o contexto sócio-cultural, ciência e tecnologia. Paralelamente, realiza-se mostra de rádios antigos do Museu do Rádio. A Orquestra Sinfônica de Porto Alegre faz concerto em homenagem ao sesquicentenário. Setembro : o vereador Eliseu Gabriel doa placa que é inaugurada no pátio do Colégio Santana, em São Paulo, local das pioneiras transmissões de rádio do padre-cientista. Em parceria com a Prefeitura de Porto Alegre e o Inovapoa, a Fnac realiza uma série de eventos: seminário, exposição de fotos, exibição de filme, conferências e lançamento de livros. A Biblioteca Pública do Estado do Rio Grande do Sul promove ciclo de palestras: Landell de Moura, o religioso, o cientista e o homem. A Prefeitura de Porto Alegre inaugura placas da rua Padre Roberto Landell de  Moura, no bairro Hípica. Novembro : ministro da Educação, Fernando Haddad, recebe das mãos da jornalista Kátia Cubel petição do MLM com o abaixo-assinado (cerca de 6 mil adesões) reivindicando o reconhecimento oficial da obra científica do padre Landell. Haddad considera a proposta interessante. A TV Senado difunde documentário de 1h ? o mais longo e mais completo até aqui ? sobre a vida e obra do inventor brasileiro. A Câmara de Vereadores de Porto Alegre realiza sessão solene em homenagem ao padre Landell. Na tradicional Feira do Livro de Porto Alegre, mesa-redonda analisa a obra de Landell. Dezembro : A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados aprova a inscrição do nome do padre Landell no Livro dos Heróis da Pátria. Projeto de lei do deputado Pedro Westphalen, que outorga ao padre Landell o título de patrono da Ciência e Tecnologia e Inovação do Rio Grande do Sul é aprovado por unanimidade na Assembleia Legislativa gaúcha. Projeto no mesmo sentido, do vereador João Carlos Nedel, é aprovado na Câmara de Porto Alegre. Landell de Moura é tema de monografia de Licenciatura em Física na UFF.