Jornalistas&Cia e Maxpress apresentam Os +Admirados Jornalistas Brasileiros 2015

Foram dois meses de eleição, dois turnos de votação e participação de profissionais de todo o Brasil. Dos três mil jornalistas indicados na primeira fase saíram 347 finalistas e, destes, os Top 10, Top 50 e Top 100 agora conhecidos A segunda edição do Prêmio Os +Admirados Jornalistas Brasileiros chegou ao final, após semanas de intenso trabalho e dois turnos de votação. À meia noite de 27/11, a Maxpress encerrou a votação, dando números finais ao certame. A ampliação do colégio eleitoral, que saltou de 3 mil em 2014 para 48 mil em 2015, face a inclusão dos próprios jornalistas entre os votantes, levou a uma grande renovação de nomes, na comparação com a primeira edição: 37 dos que aparecem em 2015 não estiveram entre os Top 100 em 2014. A preponderância de profissionais do Sudeste é avassaladora, não só por esta região concentrar os mais importantes veículos de comunicação do País – e, consequentemente, grandes nomes do jornalismo –, como também por ser dela a maioria dos eleitores. Dos cem vencedores do Prêmio, 86 são do Sudeste e, entre esses, 65 de São Paulo e 21 do Rio de Janeiro, havendo apenas um representante de Minas Gerais. O Distrito Federal comparece com 12 profissionais e o Rio Grande do Sul, com um. Embora com presença relevante, as mulheres são minoria entre Os +Admirados, ficando com 29 das cem posições. Mais da metade dos indicados atua em televisão, mostrando a força que esse veículo continua a ter na sociedade brasileira, sobretudo na própria imprensa e na comunicação corporativa. Difícil é concorrer com a Rede Globo (nela incluída a Globo News), que tem 40 profissionais de suas várias redações entre os cem vencedores. Está a quilômetros de distância da segunda colocada, a Band, com seis nomes, mas que, em compensação, é o local de trabalho do grande campeão do ano, com uma votação expressiva (30% a mais de pontos em relação ao segundo colocado). SBT e Record empatam com quatro vencedores cada, vindo a seguir ESPN e RedeTV, cada uma com um jornalista entre os cem vencedores. Jornal é outra mídia em evidência em número de ganhadores: 35 profissionais. Destaque para Estadão e Folha, com mais de dez indicações cada, seguidos de O Globo (seis) e Valor Econômico (três). Muitos dos Top 100 atuam em mais de uma mídia – alguns, em quase todas. Vários estão na web com seus blogs ou colunas especializadas, por exemplo. Mas há, entre os cem finalistas, ao menos seis profissionais que escrevem predominantemente para a web. E outros seis que atuam em revistas. O rádio é o que deu menos premiados: três, um deles o mesmo profissional de televisão citado anteriormente e que disparou na liderança. Alguns poucos entre os Top 100 estão fora das redações, mas continuam tendo atuação em projetos jornalísticos ou afins. Há também pelo menos dois profissionais que saíram do jornalismo para se dedicarem a programas de entretenimento, mas que nem por isso deixaram de ser considerados jornalistas pelos eleitores. Veja quem são os Top 10, Top 50 e Top 100 do Prêmio Os +Admirados Jornalistas Brasileiros.