Ida B. Wells, pioneira do jornalismo investigativo, recebe homenagem póstuma do Pulitzer

Ida B. Wells

Em transmissão no YouTube na segunda-feira (4/5), Dana Canedy, organizadora dos Prêmios Pulitzer anunciou os vencedores de 2020. O evento virtual teve uma homenagem póstuma a Ida B.Wells, pioneira do jornalismo investigativo e ícone da luta por direitos civis nos Estados Unidos.

A premiação homenageou Ida “por sua notável e corajosa reportagem sobre a violência horrível e cruel contra os afro-americanos durante a era dos linchamentos”. Ela nasceu como escrava em 1862, no Mississipi. Tornou-se escritora e editora, denunciando os bárbaros ataques e linchamentos de homens negros nos estados do sul dos Estados Unidos. Utilizava pesquisas de registros e entrevistas pessoais, técnicas que mais tarde se tornariam a base do jornalismo investigativo atual.

Aos 30 anos, ela desmentiu a falsa alegação de que os linchamentos eram represálias a estupros de mulheres brancas por homens negros. Ida faleceu em 1931, aos 68 anos. Michelle Duster, bisneta da jornalista, declarou que “o fato de seu trabalho ainda ser relevante hoje, tantas décadas depois, é uma prova de quão importantes são as contribuições que ela deu a este país”.

O jornal The New York Times, com três prêmios, foi o principal ganhador deste ano. Confira!

Com informações da ANJ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *