O empresário Humberto Sabóia, que acionou na Justiça o programa Profissão Repórter, de Caco Barcellos, por dano de imagem, perdeu o processo, teve recurso negado e terá que pagar custas, despesas e honorários advocatícios.

Exibido em 2017, o Profissão Repórter especial mostrava os bastidores do universo sertanejo feminino, o sucesso das mulheres no mercado musical e as que tentavam a sorte no mercado milionário. Nele, Monique Evelle entrevistou a cantora sertaneja Ruama Feitosa, que falou sobre as expectativas de assinar o primeiro contrato da carreira, mostrou a negociação de Ruama com Humberto e, logo depois, o desaparecimento do empresário sem prestar quaisquer esclarecimentos à vítima.

Sabóia alega ser comerciante conhecido na região onde mora, exercendo também o papel de investidor no mundo musical, e que, em decorrência da matéria, teve sua imagem profissional abalada, pois a repercussão negativa de ser retratado como um empresário que abandona um cliente toma proporção internacional.

Na decisão, o Juiz descreveu: “Fica deveras impossível imputar à requerida [Globo] qualquer responsabilidade civil pela matéria veiculada, conforme quer fazer crer o autor. Ficou patente nos autos que a requerida obteve autorização para realização da matéria jornalística”. E completou: “Diante de tais fundamentos, eis o porquê da improcedência do pedido. Condeno o requerente nas custas e despesas processuais, bem como em honorários advocatícios que fixo em 10% sobre o valor da ação”.

Humberto recorreu, mas teve o recurso negado.

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments