Cycle World Brasil chega ao fim

Durou pouco menos de três anos a experiência de publicar no Brasil uma edição local da norte-americana Cycle World: a revista deixa de circular a partir de junho. Projeto anunciado em maio de 2013 pela Editora Escala, e que chegou às bancas em setembro do mesmo ano, a Cycle World Brasil apostou nos moldes que até então garantiam o sucesso de outra publicação da casa, a Car and Driver (marca internacional também licenciada no País pela Escala). Com estrutura enxuta, mesclava produção local de reportagens com material internacional cedido pela edição norte-americana, e apostava em pautas menos convencionais. “Sabíamos que se chegássemos com a mesma abordagem das publicações mais tradicionais nossas chances seriam mínimas. Por isso, desde o princípio, assim como na Car and Driver, procuramos sempre pensar e escrever ‘fora da caixinha’”, explica o diretor de Redação do Núcleo Motor da Escala Luiz Guerrero. “Para se ter uma ideia, na edição de estreia fizemos um comparativo entre uma Honda Pop, modelo de muito sucesso no Nordeste, e um jegue. A ideia era mostrar como essa moto estava acabando com o uso do jegue no sertão”. A abordagem rendeu à revista algumas conquistas importantes, entre elas o Prêmio Abraciclo 2015, na categoria Impresso, com a reportagem Uma rua chamada General Osório, de Moisés Rabinovici. Foram publicadas 32 edições, mas os altos custos dos royalties, fixados em dólar, tornaram a operação deficitária nos últimos meses. O baixo volume de vendas, em torno de cinco mil exemplares mensais, também contribuiu para o fim prematuro da revista. Vale lembrar que a Cycle World existe desde 1962 nos Estados Unidos, onde é editada pela Bonnier International Magazines. Com a decisão, o chefe de Arte Demetrios Cardozo foi realocado na Escala Educacional, enquanto o editor Ícaro Bedani deixou a casa. Ele, a propósito, deve começar nesta segunda-feira (23/5) na assessoria de imprensa de uma marca automotiva, ainda a ser confirmada. Na revista desde o final de 2014, Ícaro passou anteriormente por Jornal do Carro (Estadão), Car and Driver, iCarros e revista Carro. Além deles, integravam o time o próprio Guerrero, que segue à frente das revistas Car and Driver e Auto Fácil, além de freelances.