Cleide Silva, o universo automobilístico e suas coberturas emocionantes

Cleide Silva, repórter de Economia & Negócios de O Estado de S. Paulo, atua na imprensa automotiva há mais de duas décadas. Chegou a trabalhar como editora de Economia no Diário do Povo, de Campinas (SP), por três anos, mas foi exceção. Natural de Santo André, começou a carreira no Diário do Grande ABC, imersa no intenso noticiário sindical do setor automobilístico da região. Nesta entrevista, além de passagens emocionantes do trabalho, revela: “Logo no início da profissão eu não tinha carteira de habilitação e arrumava desculpas cada vez que era convidada para algum test drive”. Jornalistas&Cia Imprensa Automotiva ? Um carro inesquecível? Cleide Silva ? Um Passat 1978, ?cor de burro quando foge?, como diziam na época. Foi meu primeiro carro, adquirido já velhinho. Depois ele ficou muitos anos com meu pai, até ser vendido a um vizinho e roubado pouco depois. J&Cia Auto ? Um momento automotivo que marcou sua vida? Cleide ? Prefiro trocar por ?coberturas que me emocionaram?… A greve dos metalúrgicos quando a Ford demitiu trabalhadores às vésperas do Natal; os aposentados que voltaram a trabalhar na linha de montagem da Kombi; a viagem à Afuá, ilha do Pará onde é proibida a entrada de veículos e a população inventou um ?carro? próprio juntando duas bicicletas; a primeira visita do Lula como presidente à fábrica da VW… J&Cia Auto ? Onde iniciou suas atividades nessa área? Cleide ? No meu primeiro emprego em jornal diário, no Diário do Grande ABC, em 1989. Cobria a área sindical e fui escalada para acompanhar o setor automobilístico. Era uma tortura inicialmente, pois eu nem tinha carteira de habilitação e arrumava desculpas cada vez que era convidada para algum test drive. Fiquei três anos fora da área e retornei ao começar a trabalhar no Estadão, em 1997, onde estou até hoje. J&Cia Auto ? O que mais a impressiona na imprensa automotiva? Cleide ? A capacidade dos profissionais em descobrir pautas criativas, mesmo quando o assunto parece ter se esgotado. J&Cia Auto ? Um profissional da imprensa automotiva para homenagear o segmento? Cleide ? Há várias pessoas que admiro, muitas delas figuras constantes nessa coluna. Mas, vou citar algumas das mulheres que atuam no setor com muito profissionalismo e competência: Alzira Rodrigues, Helena Coelho e Marli Olmos. J&Cia Auto ? Livro de cabeceira? Cleide ? Leio temas variados. Acabei de ler o 1808 e comecei o 1822, do Laurentino Gomes. Adoro quase tudo do Gabriel Garcia Marquez e do Fernando Morais. Fujo apenas dos de autoajuda e do Paulo Coelho. J&Cia Auto ? Time de coração? Cleide ? São Paulo. J&Cia Auto ? O que mais gosta de fazer nos momentos de descanso? Cleide ? Curtir a família, principalmente a criançada, viajar, ler, ir ao cinema, caminhar pelo sítio. J&Cia Auto ? Algum hobby especial? Cleide ? Já tive várias coleções (selos, carrinhos, pôsteres), mas larguei mão. Infelizmente, não curto a prática de nenhum esporte. J&Cia Auto ? Tipo de música que mais aprecia? Cleide ? Música brasileira de boa qualidade. J&Cia Auto ? Na televisão, qual programa predileto? Cleide ? Jornalísticos. J&Cia Auto ? Quais os jornais e revistas de que mais gosta? E sites especializados? Cleide ? Procuro ler os cadernos de economia de todos os grandes jornais, dou uma geral nos sites especializados de acordo com o tempo disponível no dia a dia, assim como nas principais revistas do setor. J&Cia Auto ? Um sonho por realizar? Cleide ? Sinceramente, não tenho um específico.