Brasil Econômico entra em nova fase

O Brasil Econômico monta a redação do Rio, que deixa de ser sucursal e passa a sede do jornal, com nomes conhecidos no mercado. Chamam a atenção a coluna de Nadja Sampaio (ex-Defesa do consumidor de O Globo) e o Informe New York de Heloisa Villela. Para a equipe da editora-executiva Sônia Soares chegam Josete Goulart, editora de Finanças, vinda de Brasília, e Rachel Cardoso, sub de Empresas, vinda de São Paulo. Foram contratados Flávia Galembeck, editora de Empresas; Paulo Henrique Noronha, editor de Brasil; Eliane Velloso, editora-assistente de Finanças; Nicola Pamplona, repórter especial (que deixou a coordenação de imprensa da Transpetro); e Cassiano Viana, repórter (ex-Agência CMA). Continuam na casa Érica Ribeiro, antes repórter e agora editora-assistente de Empresas, mantendo sua coluna às 2as.feiras com o novo título de Plano de negócios, e a repórter Gabriela Murno. Desde 6/5 o jornal circula com novo projeto gráfico – de André Hippert, com Renata Maneschy –, em papel-jornal e não mais na cor salmão, com espaços abertos que deixam o texto arejado e destaques para artes e fotos, incluindo um editorial semanal apenas de imagens, na seção À vista.