Estadão muda funções de Calais, Paulino, Bovo e Grinbaum

Luiz Antônio Prósperi e Luís Augusto Mônaco deixam o jornal O Estadão promoveu em 22/2 mudanças nas funções de Alexandre Calais (sub de Economia), Fernando Paulino (editor executivo), Luís Fernando Bovo (editor executivo de Conteúdos Digitais) e Ricardo Grinbaum (editor de Economia).

Nesse mesmo movimento, foram definidas as saídas do editor de Esportes Luiz Antônio Prósperi e de seu editor assistente Luís Augusto Mônaco, respectivamente com 32 e 21 anos de casa. Pouco antes, vale destacar, o jornal já havia chegado a um acordo com Roberto Gazzi, diretor de Desenvolvimento Editorial, que deixou o dia a dia para atuar como consultor.

O comunicado interno, assinado pelo diretor de Jornalismo João Caminoto, assinala que as mudanças “têm o objetivo de fortalecer a produção jornalística e são parte da rotina normal de gestão de nossa equipe”.

Pouco a pouco Caminoto vai dando ao seu estafe editorial o perfil que deseja para o jornal. Vale recordar que ele assumiu o posto em dezembro, em substituição a Ricardo Gandour, que entrou em licença para atuar como pesquisador da Columbia, em Nova York.

Em relação às mudanças, Grinbaum passa a editor executivo, no lugar de Nando Paulino, que assume a editoria de Esportes com o objetivo de fortalecê-la e prepará-la para as Olímpiadas. Calais é o novo editor de Economia. Bovo teve suas funções ampliadas, entre elas a de coordenar a abertura do dia no “mesão”, e responderá pelas equipes de Estadão Conteúdo e da Central de Notícias, a ser criada. Ele, Grinbaum e a também editora executiva Luciana Constantino passam a compor o “mesão” do Estadão impresso e digital, respondendo à editora-chefe Cida Damasco.