Valdemir Cunha

Valdemir Cunha nasceu em São Paulo em 1966. Cursou jornalismo na Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero e começou na fotografia em 1986, produzindo imagens para divulgação de peças teatrais.

Na carreira atuou como jornalista na Folha de S.Paulo, Folha da Tarde (atual Agora) e Diário do Grande ABC.

Especializou-se em imagens de cavalos, fotografando para a revista Hippus (título descontinuado da Editora Três) e Horse Business, além de colaborar com todos veículos das associações de criadores do Brasil.

 Mas tudo mudou na carreira de Valdemir. “Conheci o Jayme Monjardim, diretor de cinema e TV, quando eu fotografava cavalos e foi ele o grande responsável por eu entrar nesse universo de viagens. Ele apareceu na minha vida por acaso em 1992, relembra. Monjardim o convidou a participar do projeto de uma minisérie no Pantanal. Durante dois meses ele o acompanhou, fazendo imagens de still e documentação de locações. Desta viagem nasceu a paixão do fotógrafo pela maior planície alagada do mundo e o seu primeiro projeto de livro, Pantanal: O Último Éden,Editora DBA, 2007.

No mesmo ano passou a colaborar para a revista Caminhos da Terra e a partir daí trabalhou durante seis anos na Editora Abril, como editor de fotografia da Terra e Viagem & Turismo. Viajou por mais de oitenta países captando imagens para diversos títulos da editora. Conquistou várias premiações de fotografia, entre elas três prêmios Abril.

De 2001 a 2009 foi editor executivo na Editora Peixes e criou e coordenou o departamento de fotografia da empresa, além de ter acumulado o cargo de editor executivo da revista Caminhos da Terra.

Em 2006 começou a produzir livros, lançou Retratos do Brasil, uma coletânea de cenas brasileiras. Em 2007 Pantanal: O Último Éden, DBA; em 2008, Brasil Genial da Oficina de Agosto e Mãos Preciosas: O Artesanato do Ceará, pela editora Luste; em 2009 fotografou para o livro Tietê: um rio de várias faces e A Paisagem e o Olhar.

Em 2010 Valdemir andou pelas águas de outro rio. Cunha e o repórter Luís Patriani lançaram o livro Paraíba do Sul – a história de rio sobrevivente pela Editora Horizonte, publicação que com 82 fotografias e ilustrações retrata a riqueza cultural e econômica que transborda ao longo de toda a extensão do Rio Paraíba do Sul. O livro veio no formato de uma grande reportagem realizada pela dupla de jornalistas, que juntos, percorreram o Rio Paraíba do Sul em toda a sua extensão registrando os diversos ambientes culturais e históricos, a diversidade geográfica e as principais questões ambientais que protagonizam o trajeto do rio. No livro o peso histórico-econômico do eixo Rio-São Paulo, caminho do ouro de Minas Gerais, da lavoura da cana-de-açúcar e do café, da mineração e da crescente industrialização que permanece até hoje.

Tornou-se publisher da Editora Origem empresa que fundou com o objetivo de viabilizar projetos ligados ao Brasil e passou a se dedicar à empresa com exclusividade desde 2010. A Origem nasceu para fazer projetos ligados à cultura, população e geografia do Brasil. E, de acordo com Valdemir, a editora quer ir ainda mais longe “a ideia, antecipa, é que a partir de 2015 passe a publicar outros autores que trabalhem também com essa temática”.

O livro Brasil Natural veio pela Editora Origem, em 2011, foi o nono livro de Valdemir e está dividido em sete capítulos: Cânions do Sul, Chapada Diamantina, Fernando de Noronha, Pantanal, Lençóis Maranhenses, Monte Roraima e Foz do Iguaçu.

A obra foi seguida pelo Serra da Mantiqueira com a Editora Horizonte, em 2012 e no mesmo ano Viagem à Bahia de Jorge Amado (Editora Abril, 2012).

Fotógrafo e jornalista, Valdemir Cunha é um dos profissionais mais experientes do mercado quando o assunto é fotografia de viagem e natureza. Ele já rodou todo o Brasil e mais de 80 países fotografando cidades, paisagens e culturas locais.

Por ocasião da indicação do seu livro Brasil Invisível, pelo Prêmio Jabuti, Cunha concedeu uma entrevista à Globo News, em novembro de 2012, contando um pouco de sua trajetória e como conseguiu fotografar aquilo que ninguém vê e traça um panorama fotográfico da população brasileira.

Em Foz do Iguaçu, livro fotográfico sobre Parques Nacionais de novembro de 2011, lançado pela Ed. Origem, está uma seleção das mais belas imagens que registrou em viagens. A edição divide as páginas com outros destinos brasileiros como Pantanal (MS e MT) Fernando de Noronha (PE), Lençóis Maranhenses (MA), Chapada Diamantina (BA), Monte Roraima (RO) e Aparados da Serra (RS). Três dessas regiões estão na lista do Patrimônios da Humanidade da Unesco.

Lançou em outubro de 2013, pela editora Origem, Brasil Litoral, um misto de livro de arte/fotografia com literatura de viagem. Durante três dias, duas noites, usando avião, ônibus e barco levantou as imagens do roteiro da viagem. Tudo isso apenas para ir de São Paulo à Ilha dos Lençóis, nas reentrâncias maranhenses, onde segundo ele “ficar menos de sete dias é bobagem”.

O repertório de imagens um banco com mais de 200 mil fotografias, e ele confirma que “já fiz muito mais que isso”.

O Brasil é o grande protagonista e principal personagem dos livros. Em 25 anos de carreira, Cunha passou 20 viajando pelo mundo e, principalmente, pelos rincões do país registrando imagens nada óbvias da fantástica geografia brasileira e de seu povo. E como confere “Já viajei por mais de 80 países e não há outro lugar no mundo com gente tão hospitaleira e batalhadora quanto os brasileiros que vivem nos rincões do país”.

Valdemir Cunha ainda acha tempo entre seus cliques para ministrar workshops. Os cursos envolvem o desenvolvimento de projetos culturais – desde a concepção temática até a edição final e pontos relevantes para seu lançamento. E quando a temática do programa aborda imagens, o intuito é o de promover o descondicionamento e aprimoramento do olhar, do fotógrafo viajante.

O fotógrafo paulista segue em julho de 2014 em sua especialidade:  viagens. Completou de 25 anos de atuação na área fotografando mais de 80 países e todos os estados brasileiros.

Cunha assina a reportagem sobre as Reentrâncias Maranhenses, cujo material fotográ?co produzido para revista da Gol, edição 137, e será publicado também em seu livro Brasil Litoral. “É incrível perceber como a cultura tradicional e o modo de vida dessas populações têm uma riqueza que quem mora em grandes centros não imagina existir”, diz.

 

Atualizado em julho/2014 – Portal dos Jornalistas

Fontes:

http://www.voegol.com.br/pt-br/servicos/entretenimento-a-bordo/RevistasArquivos/Revista-Gol-137.pdf

www.valdemircunha.com.br/

http://www.valdemircunha.com.br/index.php?cont=midia

http://www.confoto.art.br/confoto/todos-fotoclubes/63-sao-paulo/1376-palestra-com-o-fotografo-valdemir-cunha-que-apresentara-o-seu-novo-livro-brasil-invisivel

Árvore S.A promove debate virtual no Dia Nacional do Escritor

See more at: http://www.centoequatro.org/blog/valdemir-cunha-ministra-dois-workshops-em-julho#sthash.UGmojBKQ.dpuf

http://www.youtube.com/watch?v=CZdfWrA9uMQ

 

.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *