APOIO

PUBLICIDADE

Odebrecht
$('#fade').cycle();
6077

Home >> Perfil

Fernando Mitre

Fernando Mitre

Responsável pelo primeiro debate político entre candidatos à Presidência da República transmitido pela televisão brasileira, é ganhador de muitos prêmios – entre eles o Comunique-se 2010 e 2012, na categoria Executivo de Veículo de Comunicação. É diretor nacional de Jornalismo e de Esportes da Rede Bandeirantes. Foi eleito entre os '+ Admirados Jornalistas Brasileiros, os ‘TOP 100’, em classificação nacional. A votação é realizada por Jornalistas&Cia em parceria com a Maxpress.

Fernando Mitre nasceu no dia 15 de agosto de 1943, em Belo Horizonte (MG). Graduou-se em Letras e é pós-graduado em Teoria Literária pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Chegou a escrever críticas literárias com alguma regularidade, atividade interrompida por falta de tempo. Cursou também Direito e Economia, estudos não concluídos.
 
Iniciou sua carreira em 1963, quando assumiu a função de repórter do jornal Correio de Minas (MG). Também passou por outras redações, como a do Diário de Minas (MG) e do semanário O Binômio (MG).
 
Alguns anos mais tarde, recebeu a proposta de integrar a equipe que fundaria o Jornal da Tarde (SP), sob o comando de Mino Carta e, tempos depois, de Murilo Felisberto. No JT, assumiu diversas funções até se tornar diretor de Redação, cargo que ocupou durante 13 anos. No início dos anos 80, criou as famosas primeiras páginas em sequência sobre a campanha das diretas. O Jornal da Tarde chegou a ser o periódico mais premiado e citado da imprensa brasileira, como referência de ousadia, criatividade e qualidade de texto. Durante dez anos, assinou a coluna que levava seu nome no jornal.
 
Passada a fase de atuação no JT, foi convidado para trabalhar na TV Bandeirantes (SP), onde está até hoje, depois de ter saído e voltado três vezes. Na emissora, produziu o primeiro debate na televisão brasileira entre candidatos à Presidência da República, em 1989. De lá pra cá, mais de 30 debates já aconteceram na emissora.
 
Desde 1982, a Bandeirantes já promovia debates entre candidatos aos governos estaduais. “Mas coube à Band realizar o primeiro debate entre candidatos à Presidência da República. Depois disso nunca mais deixou de realizá-los, promovendo o encontro democrático, esclarecedor e muitas vezes determinante, para o resultado final”, informa ele.
 
É diretor nacional de Jornalismo da Rede Bandeirantes, acumulando ainda as funções de comentarista político do Jornal da Band e entrevistador do Canal Livre, da TV Bandeirantes, e de apresentador da coluna A Notícia, da BandNews. “Em nenhuma das minhas fases profissionais, trabalhei menos de 12 horas por dia”, assegura.
 
Entre outros prêmios, destaca-se o GrandPrix do Clube de Criação de São Paulo – pela sequência de capas sobre as Diretas. Em 1989, recebeu o Grande Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e o Prêmio Líbero Badaró. Em 2010 foi o vencedor do Prêmio Comunique-se na categoria Executivo de Veículo de Comunicação.
 

Em março de 2012 a USP promoveu curso A história viva do jornalismo paulista. Durante o curso os participantes entrevistaram 15 profissionais de imprensa, entre eles, Fernando Mitre.

Voltou a receber em 2012 o Prêmio Comunique-se como Executivo de Veículo de Comunicação.

Fernando Mitre ganhou novas responsabilidades no Grupo Bandeirantes, em fevereiro de 2013. Estava há vários anos, como seu diretor de Jornalismo e assumiu também como diretor de Esportes de todos os veículos da casa.

Em novembro de 2015 assinou o prefácio do livro de Carmo Chagas Contos verdes e maduroso prefácio em que aborda a trajetória de Carmo na literatura.

No mesmo ano foi eleito entre os '+ Admirados Jornalistas Brasileiros, os ‘TOP 100’, em classificação nacional. A votação é realizada por Jornalistas&Cia em parceria com a Maxpress.

 

Atualizado em dezembro/2015 – Portal dos Jornalistas

Fontes:

Jornalistas&Cia – Edição 1028

http://www.portaldosjornalistas.com.br/noticia/fernando-mitre-amplia-seus-poderes-na-band-passa-dirigir-tambem-espor

http://www.portaldosjornalistas.com.br/noticia/saem-os-vencedores-premio-comunique-se

http://www.portaldosjornalistas.com.br/noticia/usp-promove-curso-i-a-historia-viva-jornalismo-paulista-i

Arquivo Jornalistas&Cia
Livro Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia
 

Depoimento de Fernando Mitre sobre os debates políticos na Band:

“Depois de quase 30 anos sem eleger seu presidente, o Brasil começou a se preparar para as eleições diretas à Presidência da República. Em 1988, surgiram os movimentos políticos, as articulações visando a organização das candidaturas. A Bandeirantes procurou os dois presidenciáveis mais notáveis naquele momento, Leonel Brizola e Franco Montoro, e fez o primeiro debate entre possíveis candidatos à Presidência do País. Foi um debate que acendeu as atenções e discussões sobre o que aconteceria em 1989, com as primeiras eleições diretas à Presidência após o golpe militar. A candidatura de Franco Montoro, no entanto, acabou não se concretizando e a Rede Bandeirantes, em 89, voltou à campo e realizou vários debates entre os candidatos mais significativos. Eram eles: Lula, Ulysses Guimarães, Ronaldo Caiado, Aureliano Chaves, Fernando Collor, Leonel Brizola, Paulo Maluf, Afif Domingues, Roberto Freire e Afonso Camargo. A Bandeirantes praticamente monopolizou a cobertura das eleições presidenciais porque fez uma série de cinco debates já no primeiro turno. Depois, no segundo turno, participou do pool com as demais emissoras, transmitindo os dois debates entre Collor e Lula. O primeiro nas instalações da Manchete, no Rio de Janeiro, e o segundo, que definiu a eleição, em seus estúdios em São Paulo. Devo lembrar que no primeiro turno Collor não participou dos debates, mas mesmo assim realizamos os debates com os demais candidatos. Isso fortaleceu uma tradição que já tínhamos, porque desde 82 a Bandeirantes já fazia debates entre candidatos aos governos estaduais. Mas coube à emissora realizar o primeiro debate da história do Brasil entre candidatos à Presidência da República na televisão. Depois disso, nas eleições posteriores, a Rede Bandeirantes nunca mais deixou de promover esses encontros entre os candidatos”.
 

Momentos marcantes

Fernando Mitre ressalta que várias eleições tiveram seu resultado traçado após os debates realizados pela Rede Bandeirantes. Ele cita alguns exemplos: “Os debates que a Band produziu no primeiro turno em 89 praticamente definiram o perfil da eleição e o comportamento do eleitor diante dos candidatos. Foi daí que Lula saiu votado para disputar o segundo turno com Fernando Collor. Para governador, várias vezes a eleição foi definida aqui. Houve um encontro memorável no segundo turno entre Covas e Paulo Maluf: Maluf entrou no debate com mais sete pontos na pesquisa e saiu com menos sete. Perdeu a eleição ali. Houve alguns momentos curiosos, como, por exemplo, o debate do segundo turno entre Erundina e Pitta. Na véspera do debate, já agendado pela Band, a Globo decidiu fazer um encontro na mesma data. A candidata Erundina preferiu comparecer ao debate da Globo, Pitta optou pela Band. Resultado: Erundina deu uma entrevista na Globo e Pitta foi entrevistado pela Band. A audiência entre as emissoras ficou empatada; 28 a 28...”
 

 

Campanha de Crowdfunding
Radio Web
Mais Premiados
OPN Eventos
MT Viagens
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)