APOIO

PUBLICIDADE

Odebrecht
$('#fade').cycle();
6077

Home >> Perfil

Zuenir Ventura

Zuenir Ventura

Imortal pela Academia Brasileira de Letras, assumiu a cadeira 32 em março 2015. Colunista de O Globo, escritor, é um dos mais renomados e premiados jornalistas do País. Seus textos também são reproduzidos e podem ser lidos em ‘Opinião’, no G1 – portal de notícia da Globo. Foi eleito em 2014 entre os ‘TOP 50’ dos +Admirados Jornalistas Brasileiros. Reeleito em 2015 confirmou a presença entre os 50 mais admirados do Brasil. A votação é realizada por Jornalistas&Cia em parceria com a Maxpress.

Zuenir Ventura é mineiro de Além Paraíba, cidade onde nasceu em 1º de junho de 1931. Na adolescência, trabalhou como contínuo no Banco Barra do Piraí, faxineiro no Bar Eldorado e balconista da Camisaria Friburgo, entre outras ocupações. Mudou-se para a cidade do Rio de Janeiro (RJ) em 1954 e ingressou na Faculdade Nacional de Filosofia, hoje Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Formou-se em 1958, em Letras Neolatinas.

Em 1956 tornou-se redator de A História em Notícia (RJ), obra paradidática dirigida por Amaral Netto (1921-1995), que abordava os fatos históricos em linguagem jornalística. No ano seguinte, indicado por um professor da faculdade, conseguiu uma vaga de arquivista na Tribuna da Imprensa (RJ). Ganhou bolsa de estudos do governo francês, em 1959, para estudar no Centro de Formação de Jornalistas, em Paris. Paralelamente, trabalhou como correspondente da Tribuna, fazendo coberturas históricas, como a passagem de Jango por Paris antes de se tornar presidente da República e o encontro de cúpula entre Kennedy e Kruschev, em Viena.

De volta ao Brasil, ficou um tempo na redação da Tribuna e, depois, passou a trabalhar como editor de Internacional no Correio da Manhã, além de dar aula de Comunicação Verbal na Escola Superior de Desenho Industrial, da qual é um dos criadores. Em 1965, assumiu o cargo de chefe de Reportagem da revista O Cruzeiro. Dois anos depois, tornou-se chefe da filial Rio da revista Visão.

Em 1968 foi preso, acusado de atividades subversivas pela ditadura militar, e passou três meses em uma cela com pessoas influentes como Hélio Pellegrino (1924-1988), ZiraldoGerardo Mello Mourão (1917-2007) e Osvaldo Peralva (1916-1992). Sua mulher e seu irmão também foram presos no mesmo dia, mas ficaram detidos por menos tempo. Escreveu o livro 1968: O Ano que Não Terminou, que se tornou best-seller e serviu de inspiração para a minissérie Anos rebeldes, exibida pela Rede Globo.

Em 1969, lançou uma série de reportagens – Os Anos 60: A década que mudou tudo – para a Editora Abril, que mais tarde se transformaria em livro. Em 1975, colaborou com o roteiro do documentário Que país é esse?, de Leon Hirzsman. Dois anos depois, passou a chefiar a sucursal carioca da revista Veja (SP). Junto com outros colegas investigou a morte da jovem Cláudia Lessin Rodrigues (1956-1977), reportagem que lhes conferiu o Prêmio Esso. Em 1980, entrevistou Carlos Drummond de Andrade (1902-1987), uma das raras entrevistas concedidas pelo poeta à imprensa naquele período.

Em 1981 assumiu o cargo de diretor da filial Rio de Janeiro da revista IstoÉ (SP). Em 1989, como repórter especial do Jornal do Brasil (RJ), investigou o crime do seringueiro Chico Mendes (1944-1988). A série de reportagens lhe rendeu dois prêmios: o Esso de Jornalismo e o Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos.

Em 1983 após as chacinas da Candelária e do Vigário Geral colaborou para a criação do Viva Rio, uma organização não governamental dedicada a projetos sociais e campanhas antiviolência. Em 1994, após nove meses frequentando a favela de Vigário Geral, editou um livro contando sua experiência: Cidade Partida, um retrato das causas da violência no Rio, obra que ganhou o Prêmio Jabuti de Reportagem.

Em 1998, ao ser surpreendido por um câncer em fase inicial na bexiga, resolveu publicar o livro Inveja – Mal secreto, onde contou a sua luta e vitória contra a doença, entre outras coisas. Em 2003, depois de 13 anos, voltou ao Acre para escrever a última parte de Chico Mendes – Crime e castigo, lançado pela Companhia das Letras.

Criado em 1997 o projeto Jornalista Amigo da Criança, iniciativa da ANDI Comunicação e Direitos que reconhece o trabalho de profissionais na cobertura de assuntos sociais relacionados aos direitos da criança e do adolescente, condecorou Zuenir e o premiou, inclusive com homenagem especial.

Em agosto de 2013 o jornal O Globo colocou à disposição dos leitores o acervo do todo o conteúdo publicado desde sua fundação, em 1925.

Na seção Rio de histórias vêm comentários de colunistas do jornal, convidados para serem curadores. A seção está dividida por décadas. A década de 60 traz os comentários de Zuenir. As demais, outras assinaturas: de 1920 a 2010. Luiz Paulo Horta - a década de 1920; George Vidor - 1930; João Máximo - 1940; José Casado - 1950; Artur Xéxeo - 1970; Arthur Dapieve - 1980; Flávia Oliveira - 1990; Ancelmo Gois - 2000; e Agostinho Vieira, 2010.

Em setembro de 2013, entre os mais de 30 jornalistas escolhidos para a final do Prêmio Jabuti Zuenir Ventura foi indicado com o livro Sagrada família, lançado pela editora Objetiva.

O jornal O Globo lançou em 18/8 um novo site com São quase dois milhões de páginas, que estão disponíveis na edição e diagramação originais. Para a pesquisa, há facilitadores como a busca por palavras-chave, datas e outros filtros, trazendo como resultado o recorte do material pesquisado. Além de fotogalerias que retratam a modificação urbana do Rio através dos tempos, a seção Em destaque compara o fato atual com outros semelhantes ocorridos anteriormente.

Em agosto de 2014 Zuenir foi indicado por 770 pessoas na pesquisa do Jornalistas&Cia em parceria com a Maxpress, que escolheu os ‘Os Cem +Admirados Jornalistas Brasileiros’.

Eleito pela Academia Brasileira de Letras para ocupar a cadeira 32, sucedeu a Ariano Suassuna. Ele obteve 35 votos, entre os 37 votantes, e o resultado foi divulgado em 30 de outubro de 2014. “Zuenir é querido por sua dedicação, lucidez e argúcia com que acompanha a vida social e econômica do Brasil. A Academia está muito contente em recebê-lo”, disse o presidente da entidade Geraldo Holanda Cavalcanti. A posse foi em março de 2015.

Em dezembro de 2014, Zuenir Ventura e o filho Mauro foram os convidados para o encerramento da temporada anual do Sempre um papo. Afonso Borges conversou com eles sobre jornalismo, literatura, política e edição de livros, com participação do público presente no Sesc Vila Mariana, em São Paulo. Ao final, os dois autores autografaram seus livros. Mauro com O mais triste espetáculo da Terra e Zuenir com diversos títulos, entre eles, Sagrada família e 1968, o ano que não terminou.

Segue em 2015 como colunista do jornal O Globo. Seus textos também são reproduzidos e podem ser lidos em ‘Opinião’, no G1 – portal de notícia da Globo.

Em outubro de 2015 Zuenir Ventura é presença confirmada no Encontro de Tiradentes, (MG), em Mesa Política que reunirá também Luís Nassif (Agência Dinheiro Vivo / EBC), Marcelo Beraba (O Estado de S.Paulo – Rio de Janeiro) e Daniela Arbex (Jornalista Investigativa). O painel será mediado por Gustavo César de Oliveira, (Revista Viver Brasil). O evento, apoiado por este Portal dos Jornalistas, tem a curadoria de Audálio Dantas e apoio da Prefeitura de Tiradentes. 

Foi eleito em 2014 entre os ‘TOP 50’ dos +Admirados Jornalistas Brasileiros. Reeleito em 2015 confirmou a presença entre os 50 mais admirados do Brasil. A votação é realizada por Jornalistas&Cia em parceria com a Maxpress.  

 

 

Atualizado em dezembro/2015 – Portal dos Jornalistas

Fontes:

Jornalistas&Cia – Edição 1028

http://www.portaldosjornalistas.com.br/noticia/em-os-cem-mais-admirados-jornalistas-brasileiros%C2%A0-top-50-em

Jornalistas&Cia - Edição 1.020

http://oglobo.globo.com/opiniao/o-sucesso-do-lado-b-15236287

http://www.portaldosjornalistas.com.br/noticias-conteudo.aspx?id=1863

Acesso gratuito acervo Globo: http://acervooglobo.com.br

http://www.portaldosjornalistas.com.br/noticias-conteudo.aspx?id=3210

http://www.portaldosjornalistas.com.br/noticias-conteudo.aspx?id=2948

http://pt.wikipedia.org/wiki/Zuenir_Ventura

http://empilhandopalavras.blogspot.com.br/2010/12/biografia-zuenir-ventura.html

http://www.infoescola.com/biografias/zuenir-ventura

Mais Premiados
OPN Eventos
MT Viagens
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)