Jornalistas estão melhor resguardados de ameaças virtuais

O Ministério Público do Estado de São Paulo passa a agir com mais firmeza em relação a crimes cometidos contra jornalistas na internet. De acordo com a Abraji, a partir de agora, os agressores devem ser identificados e chamados a depor em delegacias. O trabalho é do Núcleo de Combate a Crimes Cibernéticos do MP-SP.

A intenção não é apenas localizar ataques isolados de um indivíduo contra outro, mas identificar quais grupos na internet incitam e coordenam a ação dos haters, disse o procurador Paulo Marco Ferreira Lima, coordenador do núcleo, em entrevista à entidade.

A propósito de violência online, o jornalista Fernando Oliveira, conhecido como Fefito, contou em sua página do Facebook ter sofrido ameaça de morte assinada por Marcelo Valle Silveira Mello. “Hoje fui ameaçado de morte. Alguém me mandou um e-mail dizendo que sabe de todos os meus horários, que vai descarregar um 38 em mim por um único e simples fato: eu sou gay”. Silveira Mello é nome conhecido da Justiça justamente por cometer crimes de ódio e racismo online, chegando a ser tema de matéria na revista IstoÉ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *