Victorino Chermont

(Rio de Janeiro/RJ, 24 de abril de 1973 – La Unión/Colômbia, 29 de novembro de 2016)
 
Victorino Chermont, o Vitu, nasceu em 24 de abril de 1973 no Rio de Janeiro (RJ). Formou-se em Jornalismo na Faculdade da Cidade, no Rio de Janeiro.
 
Especializado em Esportes, trabalhou na Rede Bandeirantes (RJ), na rádio Globo (RJ), no SporTV e, desde 2012, na Fox Sports Brasil. Além disso, foi professor do curso de Jornalismo Esportivo do Instituto de Gestão e Comunicação das Faculdades Integradas Hélio Alonso (Igec-Facha), no Rio de Janeiro, em 2013.
 
Comandou o programa Jogos para Sempre, junto com Lúcio de Castro, exibido pela SporTV a partir de 2007, contando histórias de grandes jogos do futebol brasileiro. Foi agredido, com o cinegrafista Diego Barral, por torcedores enfurecidos do Club Atlético River Plate, da Argentina, em 2011, enquanto cobria a possibilidade de rebaixamento da tradicional equipe no Campeonato Argentino, tornando-se notícia na mídia sul-americana.
 
Conquistou o Prêmio Botequim Cultural 2012, na categoria Melhor Jornalista Esportivo e os prêmios Mídia Esporte de Jornalismo Esportivo&ltlt;/em> 2013 e 2014, na modalidade Repórter de TV Fechada.
 
Tinha paixão pelo Turfe. Era sócio do Jockey Club Brasileiro e chegou a ter cavalos de corrida, colocados sob a responsabilidade do treinador José Ferreira dos Reis, o Reisinho.
 
Estava no voo que levava os jogadores da Associação Chapecoense de Futebol a Medellín (Colômbia) – onde a equipe catarinense disputaria o jogo de ida da final da Copa Sul-Americana contra o Club Atlético Nacional –, que caiu na madrugada de 29 de novembro de 2016 próximo ao aeroporto internacional da cidade, matando 71 pessoas, entre elas o repórter.
 
 
Atualizado em novembro de 2016
 
Fontes:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *