Rafael Puetter – Rafucko

Rafael Puetter, carioca, é o conhecido humorista Rafucko (fenômeno na internet). É jornalista formado em Rádio e TVl pela Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, ECO/ UFRJ.

Começou a escrever e postar vídeos na internet trabalhando o tema da militância gay. Trabalhou no canal a cabo GNT como Analista de Conteúdo.

Em entrevista explicou esse início: “a militância gay foi a primeira influência forte do meu trabalho. Comecei a fazer vídeo sobre preconceito e homofobia, porém, depois, passei a abordar outros assuntos também”. O primeiro vídeo foi feito na época da universidade. Se chamava Versões, em 2008, e falava sobre preconceitos. A inspiração foi o discurso dos ‘não preconceituosos, mas…‘” Desde então, o videomaker, twitteiro e mídia ativista vem trazendo, com humor inteligente, o lado que não é mostrado pelas mídias de massa à grande maioria da população brasileira.

Neste começo de carreira ele achava que seu trabalho deveria ser voltado para televisão, pois havia estudo na faculdade Rádio e TV. Fazer vídeo de humor e criar conteúdo era o seu projeto original, mas com a internet, viu surgir um novo formato. Adaptou a sua motivação e virou produtor de vídeo – videomarker, que dirige, em sua maioria, com tom irônico sobre preconceito na sociedade brasileira.

Passou a assinar um blog no jornal O Dia online, Rio. Fenômeno da internet, em 24 de abril de 2015 publicou em seu blog detalhes do seu comparecimento na sede Corregedoria da Polícia Civil do Rio para prestar depoimentos e esclarecimentos sobre a atuação em protestos, em processo disciplinar contra delegado do caso Amarildo. Intimado pela Polícia, Rafael, depõe vestido de Willian Bonner e de meia-calça feminina, fina, transparente. Conta como foi a experiência que classificou de “grande piada’.

Comanda o site e canal rafucko.com onde estão postadas críticas sociais e políticas com humor ácido para refletir, rir e levar a sério, que já atinge mais de 11 milhões de acessos.

Na fotografia, estreou com a Microexposição Minorias, onde mostra fotos de sua autoria em molduras de 5cm x 7cm, para chamar atenção ao tratamento dado a grupos minoritários. Trabalhou também no projeto Princesas da Glória,  como VJ em festas no Rio de Janeiro e do extinto blog BRINKSTV. LGBT 

Rafael Puetter, aos 27 anos, é também, ou principalmente, um ativista carioca. Participa de vários protestos e manifestações que acontecem na capital. Embora ressalte que, “apesar de apoiar os Black Blocs, não recorre à violência quando sai às ruas do Rio”. Para Puetter, é vísivel que o número de manifestantes que aderiram às táticas do grupo vem crescendo nos últimos meses. Eis o depoimento em que Rafael diz por que apoia os Black Blocs.

Em fevereiro de 2014 um dos vídeos do sistema Rafucko de comunicação foi censurado pela Rede Globo. Ao satirizar o Jornal Nacional e em especial ao William Bonner enquanto noticiava sobre o cinegrafista atingido por um rojão. Rafucko em entrevista ao site Fast Food Cultural disse que “foi pego de surpresa ao ter seu vídeo retirado do ar com a justificativa ilógica de violar direitos autorais”. Na época justificou a sua indignação pois o vídeo abordava justamente o direito de se manifestar.

No ano passado, Rafucko lançou sua campanha oficial para a presidência de 2014. No seu blog estavam as razões do “candidato” para que o eleitor pudesse conferir os dados oficiais e decidir seu voto. A entrevista foi feita pelo Fast Food Cultural que traz como frase de força: “rápido, ácido e frito na manteiga”, e que agradeceu ao Rafucko pela disponibilidade e desejou: “Esperamos que sua candidatura atinja índices altíssimos sob o Partido Bom Pra Todo Mundo (PBTM) e que propostas como a legalização da corrupção, diminuição da economia e abolição completa de gêneros e orientações sexuais que vão contra os princípios da família tradicional brasileira sejam finalmente institucionalizadas”.

Em abril de 2015 o site o Diário do Centro do Mundo, DCM, publicou o tutorial polêmico criado pela PMERJ para ensinar como sobreviver à Polícia. E ainda: major da PM convoca protesto e se surpreende (vídeo). Jornal Militar: como sobreviver à polícia.

 

 

Atualizado em abril/2015 – Portal dos Jornalistas

Fontes:

Informações conferidas pelo jornalista

https://rafaelpuetter.wordpress.com/about/

http://blogs.odia.ig.com.br/lgbt/tag/rafael-puetter/

http://www.ihu.unisinos.br/noticias/524528-qpor-que-eu-apoio-os-black-blocsq

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *