Luís Fernando Bovo

Luís Fernando Bovo nasceu em Araras (SP), no dia 16 abril de 1971. Formou-se em Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica de Campinas (Pucamp/SP) em 1993. Fez pós-graduação em Marketing pela Fundação Getulio Vargas (FGV/SP), e mestrado em Jornalismo Digital no Instituto Internacional de Ciências Sociais (Iics) e em Administração de Negócios em Gestão e Marketing Digital na Escola Superior de Propaganda e Marketing (Espm/SP).
 
Começou a carreira na Folha de Campinas (SP), como repórter de Cidades, quando ainda estava fazendo faculdade. Entrou para o Grupo Folha, onde trabalhou no extinto Notícias Populares (SP), foi editor-assistente da Folha ABCD (SP), repórter e editor da Folha Ribeirão (SP), editor-assistente de Regionais e editor-assistente de Brasil da Folha de S.Paulo (SP).
 
Chegou ao Grupo Estado em 2004, atuando como chefe de Reportagem da editoria Vida& de O Estado de S.Paulo. Em 2005, com o escândalo do mensalão, foi transferido para Nacional, também como chefe de Reportagem, onde ficou até 2010. Logo depois foi editor de Política do Estadão.com e editor do portal.  
 
Como editor executivo de Conteúdos Digitais, é um dos responsáveis pela estratégia digital do Estadão e pela integração online da redação. Chefia o time de redes sociais e a homepage. Participou do redesenho do portal, do desenvolvimento do novo site mobile e da criação de inúmeros produtos digitais, como o Olhar Estadão, uma parceria com o New York Times, e o Estadão Noite, ambos exclusivos para tablet.
 
Com a nova configuração no estafe da Redação, implementada em junho de 2016 – quando a equipe passou a ter cinco editores executivos reportando-se diretamente ao diretor de Jornalismo João Caminoto – passou também a coordenar o Estadão Digital. Acompanhou, em outubro, a implementação das editorias que lhe são subordinadas: a de Redes Sociais – que deixou de ser um apêndice da home – e a de Audiência – que analisará a audiência do conteúdo em todas as frentes (site, redes sociais, vídeos etc.), identificando o perfil dos públicos e cruzando com o conteúdo que cada um deles consome, e captará quais assuntos estão despertando interesse, não apenas do público do Estadão, mas da web como um todo, e oferecer o que o jornal está produzindo.
 
 
Atualizado em outubro de 2016
 
Fontes:
Jornalistas&Cia – Edição 1.053

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *