Luciana Garbin

Luciana Garbin Santos nasceu em São Paulo (SP). Formou-se em Direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade de São Paulo (USP), ambos em 1996. É máster em Jornalismo para Editores pela USP, desde o ano 2000, e em Jornalismo Digital, pelo Instituto Internacional de Ciências Sociais (Iics), desde 2014.
 
Fez o Curso de Focas do Estadão em 1996, começando a trabalhar em O Estado de S.Paulo (SP) em seguida. Colaborou também com a revista Superinteressante (SP), da Editora Abril. Foi homenageada como Jornalista Amiga da Criança em 2001 pela Andi Comunicação e Direitos. Foi finalista ao Prêmio Esso de Jornalismo 2012, na categoria Regional Sudeste, com a reportagem Fraude na Câmara Municipal, junto com Diego Zanchetta, Adriana Ferraz, Juliana Deodoro e J. F. Diorio.
 
Assumiu a editoria Metrópole em abril de 2010, enquanto atuava no Projeto Redesenho que deu novo aspecto gráfico ao jornal O Estado de S.Paulo, comandado pelo editor-chefe Roberto Gazzi e supervisionado pelo diretor de Conteúdo Ricardo Gandour, sob responsabilidade do diretor de Arte do Grupo Estado Fábio Sales e do diretor da Cases i Associats Francisco Amaral.
 
Estreou em março de 2012 no portal Estadão.com o blog Álbum de Retratos, que reuniu o trabalho dos primeiros profissionais de fotografia no Brasil e registrou por meio de imagens as mudanças de vestuário, costumes, cenários e estilos de vida de um período que se estende por oito décadas: as três últimas do século 19 e as cinco primeiras do século 20.Ela contou ao J&Cia os bastidores: “A ideia surgiu há alguns anos. Procurei o João Emílio Gerodetti – engenheiro e colecionador de fotografias e postais antigos, e coautor de outros sete livros de iconografia antiga –, porque queria fazer um livro sobre como as paulistanas se vestiam no século passado. Eu me encantei com o acervo de retratos dele”. O trabalho redundou no lançamento do blog e do livro Álbum de Retratos: Photographias Brazileiras (Trezmarias, 2012) e durou até julho de 2013.
 
Editou, em junho de 2014, a reportagem especial multimídia, assinada por Ricardo Brandt e Robson Fernandes, sobre o avanço do crack no interior do Estado de São Paulo (SP), que foi um dos marcos do redesenho do portal Estadão.com.
 
Conquistou quatro prêmios em 2016: pela matéria Terra Bruta, elaborada em equipe com Leonencio NossaHélvio Romero, Fábio Sales, Everton de OliveiraDida Sampaio e André Borges, conquistou o Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos 2016, na categoria Jornal, o Direitos Humanos de Jornalismo, na categoria Reportagem, e o interno Estadão de Jornalismo, também na categoria Reportagem; e o Prêmio Abear de Jornalismo 2016, promovido pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas, na categoria Grande Prêmio, pela matéria A redescoberta de Santos Dumont, publicada no Estadão.com. Com isso, ficou no Top 10 dos +Premiados Jornalistas Brasileiros do Ano, ranking coligido pelo J&Cia. 
 
Realizou trabalho humanitário no Quênia, como professora voluntária, em 1997. É sócia fundadora da Associação Nacional de Jornalistas Sociais. Torce para a Sociedade Esportiva Palmeiras.
 
 
Atualizado em janeiro de 2017
 
Fontes:
Jornalistas&Cia – Edição 837

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *