Liana John

Liana John nasceu em São Paulo (SP) e há muito tempo mora em Campinas (SP). É jornalista ambiental freelancer. Escreve especialmente sobre biodiversidade, biologia da conservação, mudanças climáticas e uso racional de recursos naturais, além de fotografar a natureza por paixão.
 
Jornalista profissional desde 1977, especializou-se em Ciência e Meio Ambiente a partir de 1983, atuando nas revistas Isto É (SP). Trabalhou na revista Veja (SP), entre 1984 e 1985, indo para outra redação do Grupo Abril, a do Guia Rural Abril entre 1986 e 1989. Nesse ano, foi para a Agência Estado (SP), respondendo pela editoria de Ciência e Meio Ambiente durante 15 anos, até dezembro de 2003.
 
De 1991 a 1992, na AE, coordenou um serviço de matérias especiais sobre meio ambiente, em português e inglês, relacionado à Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (a Rio-92), além de ter trabalhado na preparação dos jornalistas que participaram da cobertura do evento. As notícias produzidas durante a conferência foram traduzidas e retransmitidas para mais de 120 países através da Bitnet, rede de computadores que antecedeu a Internet.
 
De 1995 a 2003, editou a seção de Ciência e Meio Ambiente no portal Estadão. Lá, também, escreveu a coluna semanal Ecos da Terra, durante oito anos, além de seguir com a cobertura ambiental do noticiário geral, distribuída para os dois jornais e duas rádios do Grupo Estado (O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Eldorado FM e Eldorado AM) e para 220 jornais diários e semanais, rádios, emissoras de TV e revistas de todo o Brasil, além de cinco agências de notícias internacionais.
 
Em 2001 e 2002, participou como jornalista convidada em diversas edições do programa Biodiversidade Debate, da TV Cultura (SP). Em 2003, atuou como comentarista convidada no programa Terra, Mar e Ar, da rádio Eldorado.
 
Foi uma das criadoras da revista Terra da Gente, publicada desde maio de 2004, e que virou programa de televisão, produzido e exibido pela EPTV, afiliada da Rede Globo em Campinas. Durante os primeiros seis anos, foi a editora executiva da publicação, que recebeu o Prêmio Ford de Conservação Ambiental, como a Iniciativa do Ano em Conservação, em 2004.
 
Publica o blog semanal Biodiversa, no site Planeta Sustentável e o especial mensal Plantadores de Florestas no site da National Geographic Brasil, ambos na Abril.com. Também escreve a seção mensal Brasileiros Semeadores na revista Brasileiros e publica reportagens na revista Horizonte Geográfico. 
 
Ganhou, em 2002, o Prêmio de Reportagem sobre Biodiversidade da Mata Atlântica, concedido pela Aliança para a Conservação da Mata Atlântica (uma parceria da Fundação SOS Mata Atlântica e Conservação Internacional). Recebeu o primeiro lugar no Prêmio Biodiversidade Brasil de Documentários, promovido pela TV Cultura, Natura e Ministério do Meio Ambiente, pelo documentário Bioconexão, a vida em fragmentos, produzido em 2003, que também levou o primeiro lugar, na categoria TV, do Prêmio de Reportagem sobre Biodiversidade da Mata Atlântica 2004. Em 2009, ficou com o primeiro lugar nacional, na categoria Impresso, do Prêmio Latinoamericano de Reportagem sobre Biodiversidade, concedido pela Conservation International. Venceu, ainda, o Prêmio Jornalistas&Cia/HSBC de Imprensa e Sustentabilidade 2011, na categoria Mídia Nacional/Internet, pela série Plantadores de Florestas, histórias de gente dedicada à recuperação das matas brasileiras, ao lado de Karina Arima, editora do site Viajeaqui, da Abril.com.
 
É autora dos livros Amazônia, Olhos de Satélite (EPC, 1990) e Rio Demene, um caminho para a Amazônia (Livro eletrônico – Embrapa, 1992), e co-autora dos livros Ilhas ao Largo, o Brasil de Alto Mar (Livro eletrônico – Estadão.com.br, 2002), com Sergio ViégasNicarágua, Nicarágua (Grêmio Politécnico, 1980), com Gilberto Galvão, Pyr Marcondes e Flávio Montiel, Jaguar, o Rei das Américas (Metalivros, 2010), com Evaristo Eduardo de Miranda, e O Valor da Água (Camirim, 2010), também com Pyr Marcondes. Escreveu, ainda, alguns capítulos em publicações coletivas como Avaliando a Educação Ambiental no Brasil (Gaia, 1996); Comunicação e Meio Ambiente, organizado pelo WWF-Brasil e Instituto Internacional de Educação do Brasil (IIEB); Almanaque Brasil Socioambiental, editado pelo Instituto Socioambiental (ISA) em 2004 e 2006, e Biodiversidade: é para comer, para vestir ou para passar no cabelo?, editado pelo WWF-Brasil em 2006, para a oitava Conferência das Partes da Convenção de Diversidade Biológica (COP8-CDB).
 
Repórter e Editora da Camirim Editorial, uma empresa de produção de conteúdo para mídia impressa (jornais, revistas e livros) e eletrônica (internet, rádio e TV). Produz textos jornalísticos, áudios, fotos e argumentos para documentários sobre biodiversidade, ecossistemas, agricultura, meio ambiente, clima e ciência. Está na Camirim desde abril de 2010.
 
 
Atualizado em fevereiro/2014 – Portal dos Jornalistas.
Fonte:
 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *