Goulart de Andrade

(Rio de Janeiro/RJ, 6 de abril de 1933 – São Paulo/SP, 23 de agosto de 2016)
 
Luiz Felipe Goulart de Andrade nasceu no bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro (RJ), no dia 6 de abril de 1933. Era neto de Celina Pipernat de Carvalho, uma jornalista que trabalhou muitos anos para Assis Chateaubriand (1892–1968), filho de Elisinha Coelho (1909–2001), cantora gaúcha de renome em seu tempo – lançou, em 1931, a música Rancho Fundo, um sucesso tocado até os dias de hoje – e afilhado da cantora e atriz Carmem Miranda (1909–1955).
 
Ainda muito jovem, começou a escrever para um jornal de Copacabana. Em pouco tempo ingressou no jornal Última Hora (RJ), de Samuel Weiner (1910–1980). Começou também a fazer roteiros de filmes e realizou um trabalho sobre Brasília (DF) que o levou a andar pelas salas da TV Tupi (RJ) e TV Rio (RJ). Nesta emissora, na década de 50, conheceu o jornalista Fernando Barbosa Lima (1933-2008), de quem foi assistente geral no programa Preto no Branco, e o então novato apresentador Oswaldo Sargentelli (1924–2002), com quem trabalhou todo o tempo em que esteve na emissora.
 
Em seguida foi para a TV Continental (RJ), onde fez de tudo, atuando nos bastidores da emissora e à frente das câmeras, como ator do quadro Hair. Em pouco tempo passou a dirigir programas. Conseguiu, de forma mirabolante, trabalhar ao mesmo tempo no Rio e em São Paulo. Dirigiu os programas Europa 60 e De Ponta a Ponta, e trabalhou com os atores Paulo Goulart (1933-2014) e Nicete Bruno. Da época, lembra que “viveu a fase romântica e maluca da tevê à lenha, em que tinha de tudo, menos dinheiro”.
 
Nos anos 1960, ingressou na TV Tupi de São Paulo, onde dirigiu o programa Três Leões Apresenta o Cartaz, o Grandes Atrações Pirani e, depois, o programa de entrevistas Sumaré 22 Horas, que ficou no ar por cerca de dez anos. Ainda no período produziu e dirigiu o programa Brasil 63, de Bibi Ferreira, na TV Excelsior (SP), ao vivo, que durante dois anos levou à televisão os maiores nomes do Teatro e da Cultura do País.
 
Em 1970, estreou na TV Globo (SP), como repórter do programa São Paulo Especial. Também atuou no Globo Shell Especial e no Fantástico. No mesmo ano apresentou na rádio Globo (SP) o São Paulo Zero Hora – programa jornalístico que serviu de embrião para o Plantão da Madrugada –, que dispunha de uma equipe de cinco repórteres alocados em pontos variados da cidade, dispostos a levar o ouvinte pela agitada vida noturna paulistana.
 
Estreou, em 1982,  na TV Globo, o programa Plantão da Madrugada que foi exibido na emissora por cerca de um ano e, depois de alguns meses, passou a se chamar Comando da Madrugada como é conhecido até hoje. Posteriormente, a atração foi apresentada na TV Tupi, na TV Gazeta, na TV Manchete, na TV Bandeirantes e no SBT. O programa nasceu da observação do jornalista, o descobridor desse filão que é a madrugada, sobre como as grandes capitais fervilham após o pôr do sol, por serem habitadas por muita gente insone, que trabalha ou busca diversão durante a noite.
 
No programa, também ficou nacionalmente conhecido por seu pedido ao câmera – e, figurativamente, à audiência – que o acompanhasse, com o célebre bordão Vem comigo!, e por não hesitar em mostrar aos telespectadores coisas curiosas, bonitas, trágicas, inusitadas ou a descoberta de fatos e situações da alta noite e assumir um estilo único de entrevistar pessoas.
 
Durante a década de 1980 lançou a Produtora Goulart de Andrade, independente, que também criou outros programas de reportagens como o 23ª Hora, uma mixagem de reportagens e vídeos produzido pelo jornalista, que apresentou na TV Gazeta paulista entre 1980 e 1982. Também realizou e ancorou o Eu Sou o Repórter, apresentado no SBT de 1988 a 1989, e o Programa Goulart de Andrade que, posteriormente, apresentou na mesma emissora por duas décadas e, de 2008 a 2011, passou a comandar no Record News. De 1999 a 2001, apresentou na TV Record o programa Repórter Record, produzido em São Paulo.
 
Entre 2009 e 2011 esteve à frente do SBT Repórter, um programa jornalístico que mostrava fatos históricos, descobertas científicas e assuntos de curiosidade pública em geral. No primeiro semestre de 2012 retornou à TV Gazeta, onde trabalhou em um novo programa, o Vem Comigo!, em parceria com o núcleo de criação da emissora, formado por egressos da Faculdade Cásper Líbero (SP), Nele atuou como responsável pelas atrações semanais A Máquina, Hoje Tem e Os Impedidos, imprimindo a sua longa experiência em tevê. O projeto fazia parte do processo de reformulação da grade da TV Gazeta.
 
Faleceu em São Paulo, no dia 23 de agosto de 2016, aos 83 anos, em decorrência de problemas no sistema cardiorrespiratório.
 
Sempre irrequieto e curioso, casou-se por quatro vezes e foi pai de cinco filhos.
 
 
Atualizado em fevereiro de 2017
 
Fontes:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *