Fred Navarro

Fred Navarro nasceu em Recife, capital de Pernambuco. Iniciou sua carreira na década de 70, como correspondente no jornal recifense Movimento (1978-1981). Mora em São Paulo há 27 anos (2015).

Mudou-se para São Paulo em 1988 e se associou para criar uma empresa especializada em consultoria de texto, fotografias e tradução.

Nos anos 1990, trabalhou na revista IstoÉ e no jornal comunista Voz da Unidade em São Paulo.

Escritor, Fred lançou em 1998 o livro Assim Falava Lampião, pela Editora Estação Liberdade. O livro traz 2.500 palavras e expressões em uso no Nordeste e exemplos tomados de cerca de 60 escritores e músicos da região, como Graciliano Ramos, Jorge Amado, Gilberto Gil, Ariano Suassuna, João Cabral de Melo Neto, Francisco Dantas, Jackson do Pandeiro, entre outros.

Em 1998, pela mesma editora, lançou o Dicionário do Nordeste com expressões e verbetes da região. De acordo com o autor a ideia de compor o dicionário surgiu quando ele se mudou do Recife para São Paulo: “percebi que os paulistas não me entendiam direito. Falava que minha coluna estava ‘troncha’ e eles riam. Notei então que cada lugar tem sua própria língua”, afirmou. Navarro começou a anotar as palavras tipicamente nordestinas que encontrava e a pesquisar as origens delas.

Outras edições revisadas e ampliadas vieram depois. A primeira versão, publicada em 1998, continha 2.500 palavras do vocabulário nordestino. Já a segunda edição, de 2004, chegou ao público com o dobro de verbetes. Em dezembro de 2013 lançou a terceira edição do dicionário trazendo a tradução de 10 mil registros, fruto de 21 anos de pesquisa. O livro é lançado em parceria com os estados de Alagoas, Bahia e Sergipe.

Fred é autor o roteiro do filme também de Deixem Diana em Paz e de outros argumentos e roteiros para histórias em quadrinhos de ficção. É colaborador da revista Continente (PE) e de blogs especializados em política e cultura.

Em maio de 2015 o espirituoso jornalista pernambucano foi citado pelo site internacional de notícia Brasil de Longe, escrito por José Horta Manzano: “Atacar Sergio Moro e o MPF – e defender Dirceu, Palocci e as empreiteiras – é sinal de enriquecimento. Não intelectual, claro”.

 

 

Atualizado em maio/2015 – Portal dos Jornalistas

Fontes:

http://brasildelonge.com/2015/05/06/frase-do-dia-239/

http://www.onordeste.com/onordeste/index.php

http://revistaepoca.globo.com/Epoca/0,6993,EPT725307-1655,00.html

https://www.facebook.com/dicionarionordeste

http://pt.wikipedia.org/wiki/Fred_Navarro

http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2013/12/no-recife-jornalista-lanca-nova-edicao-de-dicionario-do-nordeste.html

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *