Fernando Porto

Fernando Porto nasceu em São Paulo. É formado em Jornalismo pelas Faculdades Integradas Alcântara Machado (Fiam/SP), desde 1988.
 
Iniciou a carreira como repórter de Geral na sucursal paulista do Correio Braziliense (DF), onde permaneceu até 1992.
 
Em seguida foi para o Diário do Comércio (SP), veículo da Associação Comercial de São Paulo, no qual trabalhou como repórter especial de Economia e Negócios por cerca de dois anos.
 
Na sequência atuou como repórter de O Comerciário (SP), jornal da Federação dos Empregados no Comércio do Estado de São Paulo, de onde saiu para retornar ao DC; dessa vez trabalhou no veículo como editor do Caderno de Leilões e foi o idealizador do caderno de Turismo – o DC Turismo.
 
Entre 1996 e 1998 atuou como coordenador das áreas de Comunicação e Marketing na agência Propeg, em São Paulo, período no qual também foi assessor de imprensa de um candidato a senador do Mato Grosso.
 
Depois trabalhou por dois anos no Jornal da Tarde (SP) como editor assistente do caderno de Turismo; em seguida foi para a Editora Globo onde atuou como repórter especial da revista Quem, nas áreas de Colunismo Social e Turismo; na editora permaneceu até 2003, onde também era responsável pelo conteúdo do portal.
 
Entre 2003 e 2006, atuou como assessor de imprensa da Associação Brasileira das Agências de Viagens (Abav-Nacional), na capital paulista. Lançou, em 2005, a Agência Porto de Notícias (SP) dedicada aos assuntos e reportagens do segmento de Turismo em geral e desde então atua como editor responsável e faz reportagens especiais.
 
No ano seguinte, acumulou a atividade agência com o trabalho de editor da revista Flash Viagens (SP), veículo do segmento de Turismo.
 
Em 2007, retornou ao DC, na função de editor do Caderno de Informática sobre os assuntos de Telecomunicações em geral e, esporadicamente, atuava como repórter especial de Turismo, principalmente na área internacional. O Diário do Comércio, edição impressa foi descontinuado em 3 de novembro de 2014.
 
Até janeiro de 2016 Fernando ocupou o cargo de editor-executivo da Brasilturis Jornal, veículo especializado na indústria turística.

De imediato, intensificou os trabalhos freelance que já vinha executando paralelamente, de criação de conteúdos para jornais, revistas e veículos de comunicação interna do setor corporativo: “Além disso, vou retomar as atividades, a partir deste mês, da Agência Porto de Notícias (APN), que vinha funcionando apenas no facebook e que os amigos mais próximos cobravam que voltasse como site de notícias de turismo. A partir de janeiro o site voltou como portal ao ampliar os assuntos, após fusão com meu site de cultura Enjoy Life, e passou a cobrir tudo sobre viagens, cultura (artes e espetáculos) e lifestyle (bem-estar, gastronomia e tecnologia pessoal)”.

Em abril de 2016 lançou na Livraria Martins Fontes o livro-reportagem Morte – Biografia não Autorizada. A obra reúne reflexões sobre as fortes hipóteses da continuidade da vida sob a ótica de líderes religiosos, como Monja Coen (zen budismo), rabino Michel Schlesinger, Ricardo Bianca (gnose), Alexander Cumino (umbanda), Mãe Sílvia de Oxalá (candomblé), entre outros, e de médicos pesquisadores brasileiros de Experiência de Quase Morte (EQM).

Paulistano, morador do bairro da Pompeia há mais de 40 anos, toda uma trajetória no jornalismo, paralelamente à vida nas Redações, Fernando construiu uma história de busca espiritual, com formação em terapias holísticas. A obra está disponível para venda online.

O contato dele para jobs, criação de conteúdos jornalísticos para comunicação empresarial ou pautas para o portal é redacao@portodenoticias.com.br .

 
 
Atualizado em Abril/2016 – Portal dos Jornalistas.
Fonte:
http://www.portaldosjornalistas.com.br/noticia/fernando-porto-lanca-em-morte-em-em-biografia-nao-autorizada-em 
http://www.portodenoticias.com.br, acessado em junho/2012,
Informações fornecidas pelo jornalista em 6/6/12.
Enviado mensagem solicitando confirmação dos dados em 18/6/2012.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *