Eumano Silva

Eumano Silva passou pelas principais redações do país como repórter e editor. Trabalhou na IstoÉ em dois momentos: nos anos de 1996 e 1997, pela primeira vez.

Seguindo a trajetória na imprensa foi editor-chefe do Correio Braziliense, na capital federal para a revista Época, em 2012, de onde saiu para prestar consultoria à Comissão da Verdade do Governo Federal e foi por quase um ano editor-chefe da Veja Brasília.

Ficou fora do dia a dia da imprensa desde setembro de 2012, quando deixou a sucursal da revista Época na capital federal, na revista foi repórter especial, após deixar o cargo de diretor da equipe do impresso da Editora Globo em Brasília, em junho.

Durante o período em que comandou a sucursal da Época, o jornalista foi alvo da CPMI do Cachoeira. Em setembro de 2013 assumiu como editor da Veja Brasília, revista lançada em junho no Distrito Federal.

Em agosto de 2014 passou a comandar a sucursal da revista IstoÉ em Brasília, no lugar de Paulo Moreira Leite que seguiu para a Direção Editorial do Brasil 247 no DF. Ele disse a J&Cia que, na IstoÉ, vai “trabalhar muito porque já começou a campanha eleitoral”. Silva deve manter uma coluna atualizada no site da IstoÉ, chamada Brasil Confidencial. Deixou a Isto É em 2015.

O jornalista também tem experiência no mercado editorial, sendo o autor do livro Operação Araguaiaos arquivos secretos da guerrilha, em parceria com Taís Morais, quando ambos trabalhavam no Correio Brasiliense. A obra demandou sete anos de pesquisas entre documentos das Forças Armadas Brasileiras e do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), criador da guerrilha e também conta com o depoimento de sobreviventes de ambos os lados em conflito, além de moradores da região, camponeses e familiares, que vivenciaram as operações.

 

 

Atualizado em junho/2015 – Portal dos Jornalistas

Fontes:

Jornalistas&Cia – notícia em 12/8/2014

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *