Douglas Tavolaro

Douglas Tavolaro nasceu na cidade de São Paulo (SP). É formado em jornalismo pela Fundação Cásper Líbero desde 1998.
Trabalha na Rede Record desde 2002. Passou a comandar o Jornalismo do Grupo Record a partir de 2004. Em 2006. assumiu como diretor nacional de Jornalismo e desde 2009 é vice-presidente de Jornalismo e Esportes.
Veio do mercado impresso, trabalhou em jornais locais do bairro do Tatuapé, em São Paulo , onde nasceu e foi criado, no antigo Diário Popular e na revista IstoÉ durante quatro anos.
Entrou na TV Record como produtor e editor de reportagens investigativas, foi editor-chefe do Repórter Record cerca de três anos até assumir interinamente a função de diretor de Jornalismo. Depois de cinco meses, foi efetivado. Aos 26 anos, tornou-se o jornalista mais jovem a assumir o cargo de diretor de Jornalismo da televisão brasileira.
Em sete anos, idealizou um dos projetos de Telejornalismo de maior concorrência para a atual emissora líder e que contribuiu para elevar a Rede Record à segunda maior audiência em todo Brasil. Implantou o novo Jornal da Record após a saída do respeitado âncora Boris Casoy.
Foi responsável pela reformulação geral do programa Domingo Espetacular. Criou e implantou programas como o novo Fala Brasil ? telejornal matutino líder de audiência ? Câmera Record, Tudo a Ver, Esporte Fantástico e dezenas de noticiários locais em várias capitais, entre eles o sucesso Balanço Geral, padronizando a rede de Jornalismo nas emissoras filiadas e afiliadas da Record.
Reformulou as redações de todas as filiadas da Record com a contratação de gerentes de Jornalismo, repórteres e apresentadores. A partir de São Paulo, comanda as redações de 11 emissoras próprias da Rede Record. Organizou a estrutura internacional do Jornalismo. Montou e dirige os sete escritórios da Record em Washington, Nova York, Tóquio, Londres, Lisboa, Joanesburgo e Jerusalém.
Implantou e comanda o primeiro canal de notícias da tevê aberta brasileira, a Record News e gerencia o projeto editorial do portal de notícias e entretenimento do grupo, o R7. Chefiou a reformulação geral do Departamento de Esportes. Liderou a cobertura olímpica da emissora nos Jogos Olímpicos de Inverno de Vancouver 2010, no Canadá, vencedora do prêmio máximo do Comitê Olímpico Internacional: o troféu Olympic Golden Rings, que promove a excelência em transmissão televisiva dos eventos olímpicos. Nunca uma emissora brasileira havia recebido o prêmio, seja pela cobertura das Olimpíadas de Inverno ou de Verão.
É o responsável pelo projeto olímpico nas transmissões exclusivas dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara 2011 e Toronto 2015 e pelos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e Rio 2016. É integrante do Comitê Artístico e de Programação da TV Record e do Comitê de Gestão para Ações Estratégicas do Grupo Record.
Publicou os livros A casa do delírio ? Reportagem no Manicômio Judiciário de Franco da Rocha (Senac/SP, 2002) e O bispo ? A história revelada de Edir Macedo (Larousse, 2007) e editou a publicação de Nada a Perder (Planetas do Brasil, 2012), a primeira parte da autobiografia do fundador da Igreja Universal do Reino de Deus. Ganhou os prêmios Embratel 2004, na categoria Jornalismo Investigativo, com a matéria A cidade do crime; o Esso 2005, Especial de Telejornalismo, com a matéria Imbroglione ? O cidadão fantasma; o Concurso Tim Lopes de Jornalismo Investigativo de 2009, na categoria TV, e o Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos 2010, na categoria Telejornalismo, com a matéria Presídios ? Sobrevivendo no inferno.
Atualizado em novembro de 2012
Fontes:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *